Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da resistência adesiva ao esmalte previamente submetido à erosão associada ou não à abrasão

Processo: 09/01376-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Linda Wang
Beneficiário:Vanessa Manzini Dreibi
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Escovação dentária   Esmalte dentário   Adesivos dentinários   Resistência de união (odontologia)   Erosão dentária   Refrigerantes
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Erosão | escovação | esmalte | resistência adesiva | Dentística

Resumo

As recentes constatações científicas dos diferentes potenciais erosivos de produtos à base de cola tem evidenciado grande potencial destes produtos. Desta forma, as alterações provocadas no esmalte devem ser investigadas quanto ao seu comportamento frente a adesão, uma vez que estas superfícies frequentemente requerem ser restauradas com resina composta. O objetivo neste estudo será de avaliar a influência do tipo de refrigerante Coca-Cola regular associado ou não a escovação por meio da análise de resistência adesiva por microtração. As hipóteses nulas a serem testadas são de que: 1- Não há diferença de resistência adesiva ao esmalte de acordo com o tipo ciclagem erosiva; 2- Não há diferença de resistência adesiva ao esmalte sadio ou erodido; 3- Não há diferença de resistência adesiva ao esmalte com ou sem associação da escovação. Noventa espécimes de 4mm x 4mm serão obtidos de incisivos bovinos e após polimento, dez unidades serão submetidos a cada uma das situações: GI- em saliva artificial continuamente (grupo controle); GII- desafiados 3x/2minutos por um dia em Coca-Cola; GIII- desafiados 3x/5minutos diários em Coca-Cola por 5 dias. Os grupos IV a VI serão similares aos anteriores porém associados à escovação com uso de escovas elétricas por 1 minuto logo após o desafio erosivo proposto. Cinco espécimes de cada grupo serão analisados quanto a microdureza superficial e a perda de estrutura por perfilometria para atestar a validade do modelo experimental. As dez amostras remanescentes de cada grupo serão reconstruídos com sistema adesivo convencional (ácido fosfórico a 37% gel) de dois passos Single Bond 2 e com resina composta nanoparticulada Filtek Z350. Após 24 horas de imersão em água, os blocos serão submetidos a cortes para obtenção de palitos da ordem de 1,0mm x 1,0mm para serem testados sob microtração a velocidade de 0,5mm/min e carga de 100Kg. Os dados serão tabelados e se passarem no teste de distribuição normal, as análises serão realizadas pelo teste de ANOVA e comparações múltiplas com Tukey, ambos com p<0,05. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CASAS-APAYCO, LESLIE CAROLL; DREIBI, VANESSA MANZINI; HIPOLITO, ANA CAROLINA; ZARDIN GRAEFF, MARCIA SIRLENE; RIOS, DANIELA; MAGALHAES, ANA CAROLINA; RABELO BUZALAF, MARLIA AFONSO; WANG, LINDA. Erosive cola-based drinks affect the bonding to enamel surface: an in vitro study. Journal of Applied Oral Science, v. 22, n. 5, p. 434-441, . (09/01377-5, 09/14986-0, 09/01376-9)
LESLIE CAROLL CASAS-APAYCO; VANESSA MANZINI DREIBI; ANA CAROLINA HIPÓLITO; MÁRCIA SIRLENE ZARDIN GRAEFF; DANIELA RIOS; ANA CAROLINA MAGALHÃES; MARÍLIA AFONSO RABELO BUZALAF; LINDA WANG. Erosive cola-based drinks affect the bonding to enamel surface: an in vitro study. Journal of Applied Oral Science, v. 00, n. ahead, p. 00-00, . (09/01377-5, 09/01376-9, 09/14986-0)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.