Busca avançada
Ano de início
Entree

ANÁLISE DA VARIABILIDADE GENÉTICA DA ORF p29, GENE PUTATIVO DA CAPA PROTÉICA DO CILV

Processo: 08/10642-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Juliana de Freitas Astúa
Beneficiário:Juliana Aparecida Pereira
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/52691-9 - Manejo da leprose dos citros, AP.TEM
Assunto(s):Sequenciamento

Resumo

A leprose é uma enfermidade de grande interesse econômico devido aos altos custos gastos para seu controle nos pomares brasileiros. Ela é causada pelo vírus da leprose dos citros C (Citrus leprosis virus C - CiLV), que é transmitido às plantas através de seu vetor, o ácaro Brevipalpus phoenicis. Este último é cosmopolita e possui ampla distribuição geográfica, o que pode levar ao aparecimento de isolados de vírus oriundos das diferentes regiões. O estudo da variabilidade permite conhecer melhor o patossistema, identificar e mapear isolados mais severos e, conseqüentemente, criar novas estratégias de manejo da doença. Uma das técnicas mais utilizadas para se analisar a variabilidade genética viral é o polimorfismo da conformação de fita simples (single strand conformational polymorphism, SSCP), que permite distinguir isolados de vírus e detectar diferenças não necessariamente relatadas através de propriedades biológicas. Apesar de ainda muito utilizada, essa técnica tem sido complementada, nos últimos anos, pelo seqüenciamento da região de interesse, o que torna o estudo mais robusto, pois possibilita uma discriminação precisa das diferenças virais, através das bases de nucleotídeos seqüenciadas.