Busca avançada
Ano de início
Entree

Levantamento da entomofauna (Arthropoda:Hexapoda), em manguezais da Estação Ecológica Juréia-Itatins, Peruíbe (SP)

Processo: 10/15202-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Marcelo Antonio Amaro Pinheiro
Beneficiário:Leonardo Mendes de Souza Mesquita
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Riqueza   Manguezais   Insetos

Resumo

Pouco se conhece sobre a riqueza e diversidade da entomofauna dos manguezais brasileiros, embora tais informações sejam prioritárias para a avaliação do status de conservação deste ambiente, identificação de espécies endêmicas e dos possíveis níveis de ameaça aos quais estão sujeitas. O presente projeto visa realizar o levantamento das espécies de insetos em um manguezal protegido (estação ecológica), avaliar sua associação com elementos estruturais do ecossistema (sedimento e estratos vegetais), além de apresentar um levantamento dos dados pretéritos sobre sua distribuição geográfica, localidade-tipo, sinonímia e tamanho. Serão realizadas quatro coletas sazonais, durante um ano, compreendendo bosques de manguezal da Estação Ecológica Juréia-Itatins, Município de Peruíbe (SP) (24º25´40´´S - 47º05´20´´W). No período de agosto/2010 a julho/2011 serão realizadas quatro coletas, sendo uma para cada estação do ano, em bosques de manguezal com reduzida inundação pelas marés. Cada exemplar capturado será acondicionado individualmente em frasco plástico, etiquetado numericamente, com registro da coordenada geográfica (GPS) e associação com os elementos estruturais do sedimento (serrapilheira) e da vegetação, neste último caso, identificando-se a espécie arbórea e o estrato amostral (p. ex., raízes escora / aérea, base do tronco / Bostrychietum, ramos e folhas). Em laboratório os espécimes serão montados com alfinete entomológico, recebendo etiqueta contendo dados essenciais para sua referência futura, que também estarão disponíveis em uma planilha eletrônica para consulta. Os espécimes serão identificados ao nível de família, separados por morfo-espécies e classificados ao nível de gênero e espécie, com auxílio de chaves taxonômicas. A confirmação da classificação desse material ocorrerá por entomologista (co-orientador) da FCAV/UNESP Jaboticabal e, caso necessário, por outro especialista. Os dados das espécies coletadas serão incluídos no inventário, além de informações complementares sobre sua associação com elementos estruturais do manguezal. Os exemplares determinados serão depositados nas coleções do Museu de Zoologia/USP e da UNESP/CLP. Os dados obtidos serão empregados no cálculo dos índices de riqueza (Margaleff) e diversidade (Shannon), bem como para a confecção de uma curva de rarefação de espécies para a área de estudos.