Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificacao de proteinas que interagem com hpem-2/arhgef9-proteina sinalizadora em sinapses inibidoras do snc - e triagem de mutacao em individuos portadores de retardo mental associado com epilepsia.

Processo: 03/00205-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2003
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Maria Rita dos Santos e Passos Bueno
Beneficiário:Andréa Laurato Sertié
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14254-2 - Centro de Estudos do Genoma Humano, AP.CEPID
Assunto(s):Retardo mental

Resumo

A proteína GEF hPEM-2/ARHGEFG9, também conhecida como colibistina em rato e camundongo, ativa a Rho-like GTPase Cdc42, a qual está envolvida na tradução de sinais intracelulares que ligam receptores de membrana ao citoesqueleto e à expressão gênica. Apenas uma isoforma de hPEM-2/ARHGEF9 está descrita em homem, a qual é constituída pelos domínios SH3-DH-PH-CC. Em rato, estão descritas duas isoformas alternativas: colibistina I e II, que diferem quanto à presença dos domínios SH3 e CC (os quais estão ausentes em colibistina II). Estudos in vitro sugerem que colibistina II de rato atua nas cascatas de sinalização que promovem o recrutamento da proteína gefirina, e conseqüentemente de receptores de glicina, para sítios pós-sinápticos inibitórios. Assim sendo, esses estudos sugerem que colibistina parece regular a amplitude dos sinais sinápticos inibidores no SNC. O presente projeto de pesquisa tem como objetivo principal identificar proteínas que interagem com hPEM-2/ARHGEF9, com a finalidade de maior compreensão dos mecanismos moleculares envolvidos na formação e funcionamento das sinapses inibitórias. Além disso, constituem objetivos específicos a caracterização com mais detalhes da expressão do gene hPEM-2/ARHGEF9 no SNC, e a triagem de mutação nesse gene em indivíduos com retardo mental associado à epilepsia. (AU)