Busca avançada
Ano de início
Entree

Desidratação osmo-convectiva de tomate - determinação de isotermas de sorção

Processo: 98/11133-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 1998
Vigência (Término): 30 de novembro de 1999
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Vânia Regina Nicoletti Telis
Beneficiário:Ana Cristina de Barros Domingues
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Tomate   Atividade de água

Resumo

Esta solicitação está inserida em um projeto mais amplo, que vem sendo desenvolvido no Departamento de Engenharia e Tecnologia de Alimentos da UNESP - Campus de São José do Rio Preto, visando a adequação das condições de secagem osmoconvectiva, isto é secagem por ar quente, precedida por um pré-tratamento osmótico, à produção de tomate seco em metades. Pretende-se determinar as isotermas de sorção para o tomate sem sementes, ao natural e submetido à pré-desidratação osmótica em soluções de sacarose/cloreto de sódio, empregando o método gravimétrico. O conhecimento das isotermas de sorção do produto, submetido ou não ao pré-tratamento osmótico é de grande importância na avaliação da estabilidade microbiológica e físico-química do produto e no projeto de secadores. Pode ser útil, ainda, na elucidação dos efeitos do pré-tratamento osmótico sobre a estrutura. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.