Busca avançada
Ano de início
Entree

Biologia da nidificação, estrutura sociogenetica e estrutura genética populacional em abelhas do gênero Centris (Hymenoptera: Apidae) que nidificam em cavidades prexistentes

Processo: 06/60863-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2007
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Marco Antonio Del Lama
Beneficiário:Camila Helena da Silva
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/15801-0 - Biodiversidade e uso sustentável de polinizadores, com ênfase em abelhas Meliponini, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Abelhas   Comportamento animal

Resumo

Há um interesse crescente em utilizar os serviços de polinização de espécies nativas em sistemas naturais e agrossistemas. Entretanto, várias limitações se interpõem para que esta iniciativa alcance sucesso, em especial nos países tropicais. Dentre os obstáculos a serem transpostos, o pouco conhecimento da diversidade regional de visitantes florais e a identificação dos polinizadores efetivos de culturas-alvo podem ser apontados. Além deste conhecimento primário sobre a diversidade local das espécies e sua taxonomia, é essencial conhecer a biologia reprodutiva e a estrutura populacional das espécies de abelhas para i) avaliação da viabilidade do uso destas como polinizadores e ii), para o desenvolvimento de estratégias de manejo, visando a conservação e utilização sustentável de polinizadores silvestres. Estas informações propiciam os subsídios para o desenvolvimento de técnicas de produção massal para liberação em culturas, uma das etapas finais para a implementação de um programa eficiente de polinização. Por representar forte limitação para a implantação de programas de polinização, uma grande quantidade de informação sobre a biologia reprodutiva das abelhas com potencial para uso em polinização de culturas no Brasil precisa ser rapidamente gerada, como requisito para a seleção de espécies e avaliação da viabilidade de manejar suas populações. Aspectos importantes da biologia reprodutiva, como a capacidade reprodutiva das fêmeas, são completamente desconhecidos para estas espécies, tanto em habitats naturais quanto em agroecossistemas. (AU)