Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do impacto do crescimento da geração distribuída no perfil de tensão e no controle de potência reativa de sistemas de distribuição de energia elétrica

Processo: 02/13838-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2003
Vigência (Término): 31 de março de 2005
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Sistemas Elétricos de Potência
Pesquisador responsável:Luiz Carlos Pereira da Silva
Beneficiário:Alexandre Haruiti Anzai
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Geração distribuída   Estabilidade de tensão

Resumo

A recente crise no abastecimento de energia elétrica no Brasil reativou a busca por formas mais criativas e mais eficientes para prover a demanda por eletricidade, que sejam principalmente, independentes do regime de chuvas e de suas incertezas. Especialistas do setor elétrico têm defendido a difusão da Geração Distribuída e consideram que está será a grande revolução na concepção dos sistemas elétricos de potência para os próximos anos. Observa-se uma tendência mundial nesse sentido, sendo que o maior atrativo para a disseminação de geração distribuída em todo o mundo é o avanço tecnológico, alcançado nas últimas duas décadas, associado a materiais e técnicas de projeto, na construção de pequenas/médias unidades geradoras de energia elétrica, resultando em aumento no rendimento e diminuição nos seus custos de instalação. O crescimento do nível de geração conectada diretamente aos sistemas de distribuição irá inevitavelmente afetar o controle de tensão e potência reativa de alimentadores de distribuição. Primeiro, porque a inserção de geração local pode ser vista como corte de carga, o que acarreta em elevações de tensão no alimentador. Segundo porque os geradores também trocam potência reativa com o sistema, e não somente potência ativa. Este projeto pretende contribuir pesquisando o impacto da inserção da geração distribuída sobre o perfil de tensão nos alimentadores e a interação da geração distribuída com os dispositivos de controle de potência reativa do sistema de distribuição. (AU)