Busca avançada
Ano de início
Entree

Geografia braudeliana: a concepção de espaço de Fernand Braudel na primeira parte de O Mediterrâneo

Processo: 05/50393-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2005
Vigência (Término): 30 de abril de 2007
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Lincoln Ferreira Secco
Beneficiário:Larissa Alves de Lira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Mediterrâneo   Determinismo genético   Espaço-tempo

Resumo

A pesquisa tem por objetivo apreender a concepção de espaço de Fernand Braudel, historiador francês. Assim, busca-se saber como essa concepção se relaciona com a geografia vidaliana, ou seja, verificar a possibilidade de Braudel avançar ou não nessa concepção em relação à Geografia, no momento em que escreve seu principal livro e material de análise desta pesquisa: "o Mediterrâneo e o Mundo Mediterrânico na Época de Felipe II" (primeira parte, "O ambiente"). Esta última problemática é levantada por Yves Lacoste em seu artigo "Braudel geógrafo". Para Lacoste, além da importância de Vidal à análise, surge também a importância de Lucien Febvre, que além de seguidor de Vidal, é considerado pelo próprio Braudel como seu "mestre". A importância de Braudel na articulação espaço e tempo que ele engendra nesta obra. O Mediterrâneo, associado à uma comparação com a principal corrente da Geografia Moderna, cujos expoentes são aqui Vidal e Febvre, nos permitirá discutir e problematizar os legados da Geografia situados no debate atual, que passa também pela injunção de Espaço e Tempo. (AU)