Busca avançada
Ano de início
Entree

Desempenho de cordeiros Santa Inês e Ile de France, filhos de ovelhas artificialmente infectadas com larvas de Haemonchus contortus e suplementadas com dietas com diferentes teores proteicos

Processo: 07/50374-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2007
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Alessandro Francisco Talamini Do Amarante
Beneficiário:Maurícia Brandão da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Cordeiros   Haemonchus   Ovinos   Nutrição animal

Resumo

Neste estudo, avaliar-se-á o desempenho dos cordeiros Santa Inês e lie de France filhos de ovelhas infectadas artificialmente com Haemonchus contortus e suplementadas com diferentes teores de proteína. A alimentação será fornecida diariamente de maneira restrita para as matrizes, calculada separadamente para cada uma das raças, com o objetivo de suprir requerimentos pré-estabelecidos de proteína metabolizável. As dietas experimentais serão isoenergéticas, formuladas para suprir 0,8 vez (dieta com baixa proteína) ou 1,3 vez (dieta com alta proteína) os requerimentos de proteína metabolizável. As ovelhas serão infectadas com 1700 larvas infectantes (L3) de H. contortus, três vezes por semana (segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira), com início sete semanas antes da data prevista para o parto. Os cordeiros serão mantidos junto com as mães, livres de infecções helmínticas. Nos primeiros 28 dias de vida, os cordeiros serão alimentados apenas com o leite produzido por suas mães. Após este período, terão acesso à "creep feeding". A avaliação do desempenho dos cordeiros terá por base o peso ao nascer, o ganho de peso semanal até a desmama e o consumo de alimento. (AU)