Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do zinco e da calagem sobre o desenvolvimento vegetal de espécies florestais da Mata Atlântica

Processo: 08/05808-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Marcio Roberto Soares
Beneficiário:Monica de Albuquerque Bonini
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Fertilidade do solo   Restauração ecológica   Mata Atlântica

Resumo

A Mata Atlântica foi o primeiro Bioma a ser devastado, em um processo lento de exploração madeireira e de introdução da agropecuária ao longo de toda a costa brasileira. Restam remanescentes significativos apenas nas escarpas íngremes da Serra do Mar, que cobrem menos de 8% da área original. Umas das conseqüências da eliminação da vegetação natural e da degradação do solo é a perda da fertilidade em função da redução dos teores de nutrientes. Ainda é limitado o conhecimento das exigências nutricionais de espécies florestais nativas da Mata Atlântica, sobretudo com respeito aos micronutrientes. Em solos intemperizados e, sobretudo, nos degradados, a reserva natural de zinco (Zn) é muito baixa e sua deficiência impõe sérias limitações ao desenvolvimento vegetal. Os objetivos deste trabalho são: (i) verificar a influência de quatro níveis de zinco (Zn) no solo, com três níveis de calagem, sobre o desenvolvimento vegetal de seis espécies florestais nativas do Bioma Mata Atlântica; (ii) avaliar sintomas de deficiência de Zn em espécies nativas do Cerrado. Os tratamentos constarão de quatro níveis de Zn (0,0; 2,0; 4,0; 6,0 kg ha-1 de Zn) e de três níveis de calcário (V% = 0, 50 e 70%), para seis espécies florestais da Mata Atlântica, pertencentes à diferentes classes de sucessão ecológica, cultivadas em casa-de-vegetação. Em razão da escassez de resultados de pesquisa, espera-se obter informações básicas sobre as respostas das espécies vegetais testadas quanto à exigência de Zn, oferecendo subsídios para futuros trabalhos de campo sobre implantação de vegetação florestal para recuperação de áreas degradadas no Bioma Mata Atlântica.