Busca avançada
Ano de início
Entree

Pinguins de Magalhães como um modelo em estudos de genética da conservação: variabilidade genética, filogeografia e mudanças climáticas

Processo: 09/08757-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:João Stenghel Morgante
Beneficiário:Vanessa Simão de Almeida
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Filogeografia   DNA mitocondrial   Variação genética   Mudança climática

Resumo

O aquecimento global tem sido um dos temas mais debatidos na atualidade. A média da temperatura global aumentou 0,06°C por década durante o século XX, e 0,19°C por década entre 1979 e 1998. Simulações climáticas recentes indicaram que as atividades humanas estão acelerando o aquecimento dos oceanos, fato que é extremamente preocupante do ponto de vista da conservação biológica e da economia das regiões costeiras. Os pingüins são as sentinelas dos ambientes marinhos, porque eles provêm um sinal da produtividade oceânica e das variações climáticas em longo prazo. Desta forma, a realização de estudos que se proponham a estudar aspectos da genética de populações de pingüins são fundamentais para a compreensão de como essas espécies respondem às mudanças climáticas (potencial evolutivo). Ao longo da história evolutiva da terra, o planeta passou por diversas oscilações climáticas, sendo essas muitas vezes responsáveis pela extinção de muitas espécies, mas também por eventos de especiação A variabilidade genética permite que as populações mantenham seu valor adaptativo, sendo capazes de responder às mudanças ambientais. O presente projeto visa estudar a filogeografia do pingüim de Magalhães da América do Sul. Para isso serão analisadas amostras de toda a área de distribuição dessas espécies através da colaboração com instituições de pesquisa locais. As extrações do DNA serão feitas a partir de tecido sanguíneo. Neste trabalho será utilizado a região mitocondrial do citocromo b e do Dloop, onde serão estimados a diversidade nucleotidica (À), a diversidade haplotípica (h), o número e de sítios segregantes (S) e o ¸ (4Nµ), o número de migrantes entre as colônias e o tamanho efetivo das populações. Com este projeto esperamos identificar a estrutura populacional dos Pinguins de Magalhães na América do Sul e os efeitos das oscilações climáticas nas populações naturais dos pingüins.