Busca avançada
Ano de início
Entree

Ligando paisagem a moléculas: análise genética das populações de anta (Tapirus terrestris) na Mata Atlântica de São Paulo

Processo: 07/04073-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Mauro Galetti Rodrigues
Beneficiário:Alexandra Sanches
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/03392-6 - Efeitos de um gradiente de defaunação na herbivoria, predação e dispersão de sementes: uma perspectiva na Mata Atlântica, AP.TEM
Assunto(s):Ecologia molecular   Ecologia da paisagem

Resumo

As populações de mamíferos, especialmente as espécies de médio e grande porte, vêm sofrendo significativas reduções, como resultado da caça, perdas de habitat e fragmentação induzida pelo desenvolvimento econômico humano. A disrupção de ambientes contínuos (fragmentação, rodovias e áreas agrícolas) pode ter sérias conseqüências no fluxo gênico das espécies de mamíferos. A anta (Tapirus terrestris) é um dos mamíferos de grande porte mais visados para a caça e vem sofrendo drástica redução populacional mesmo em florestas contínuas da Mata Atlântica. Em São Paulo, duas grandes áreas devem conter as maiores populações desse megaherbívoro, a Serra do Mar e a Serra de Paranapiacaba. Esse projeto propõe a análise genética não-invasiva com marcadores microssatélites utilizando amostras fecais da anta desses dois corredores: o Corredor da Serra do Mar (Núcleos Santa Virgínia, Cunha, Picinguaba e Caraguatatuba) e o da Serra de Paranapiacaba (Parque Estadual do Alto do Ribeira, PE Intervales, PE Carlos Botelho e PE Jacupiranga) e áreas de ligação entre esses corredores (PE Jurupará e EE Jureia-Itatins). Este estudo complementa parte do projeto "Trophic cascades in a defaunated landscape: the Atlantic rainforest perspective" submetido ao programa BIOTA da FAPESP e com os resultados obtidos, pretende-se auxiliar nas estimativas de número mínimo populacional e diversidade genética dessas populações, além de mapear os indivíduos através das áreas e verificar o padrão de movimentação e fluxo gênico desse importante megaherbívoro. Os dados genéticos serão complementados com dados de paisagem, buscando relacionar os efeitos da estrutura da paisagem sobre a distribuição e movimento desses animais. O presente projeto já foi iniciado com a prospecção dos marcadores microssatélites. De 67.064 pb seqüenciados foram identificados 18 microsatélites entre mono, di e tetranucleotídeos, dos quais foi possível desenhar primers para 16. Está sendo iniciada a caracterização dos loci isolados quanto ao polimorfismo. Esta investigação genética pode fornecer informações valiosíssimas, pois não existe informação a respeito da diversidade genética desses organismos que exercem a importante função como dispersores de sementes, mas que são considerados vulneráveis e sofrem uma enorme pressão de caça. Estudos sobre biologia, ecologia e monitoramento da variabilidade genética das populações de antas são de extrema importância, pois toda informação científica tem um papel estratégico não somente no manejo e conservação das espécies, como também na sustentabilidade do ecossistema estudado.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.