Busca avançada
Ano de início
Entree

A defesa da escravidão no parlamento imperial brasileiro, 1831-1851

Processo: 04/02632-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2004
Vigência (Término): 31 de julho de 2006
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Rafael de Bivar Marquese
Beneficiário:Tâmis Peixoto Parron
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Escravidão   Ideologia

Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo estudar as defesas da escravidão ocorridas no Parlamento Imperial Brasileiro, tanto na Câmara dos Deputados como na dos Senadores, entre 1831 e 1871. Com isso, pretende-se discutir se, no Brasil, teria havido um ideário pró-escravista ou até mesmo uma ideologia da escravidão com que a elite política imperial pôde assumir o comando das mudanças da-instituição escravista, em face das pressões e dos eventos nacionais, assim como internacionais. Nesse sentido, a presente pesquisa dialoga diretamente com outras perspectivas historiográficas que, analisando as vicissitudes da escravidão oitocentista no Brasil, entendem-nas preferencialmente como fenômenos econômicos ou resultado direto das pressões sociais e jurídicas exercidas pelos escravos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Livros apoiados pela FAPESP vencem Prêmio Jabuti