Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da porosidade no reator anaeróbio de leito fluidificado para produção de hidrogênio

Processo: 10/01136-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Edson Luiz Silva
Beneficiário:Danilo Augusto Viotto
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Hidrodinâmica   Tratamento anaeróbio   Produção de hidrogênio

Resumo

Em virtude da escassez de combustíveis fósseis, os quais são a base energética atual, pesquisas estão sendo realizadas a fim de conduzir à obtenção de novas fontes. É necessário ainda minimizar o impacto da poluição ambiental resultante do uso desordenado dos combustíveis de origem fóssil, responsáveis em grande parte pelo aumento do efeito estufa. O hidrogênio surge como um combustível alternativo e promissor em resposta à essas questões, tendo em vista que não emite poluentes durante seu processo de combustão, apenas água. As metodologias de produção de hidrogênio ainda se encontram em fase de melhoramento, sendo que uma das vias de produção se dá pela fermentação anaeróbia. Os reatores de alta taxa têm sido bastante utilizados para o estudo da produção de hidrogênio e entre eles está o reator de leito fluidizado. Devido às suas características intrínsicas, como maior adesão dos microorganismos e alta taxa de transferência de massa, ele tem sido empregado para a produção biológica de hidrogênio. O estudo fluidodinâmico do reator, porém, ainda é uma área pouco explorada no estudo da produção de hidrogênio. Em vista desta questão e da promessa da produção de hidrogênio, será conduzido um estudo experimental em reator de leito fluidizado para a produção de hidrogênio a partir de água residuária sintética (5000 g.L-1). A princípio, o reator terá 190 cm de altura e 5,3 cm de diâmetro interno, tendo a argila expandida com material de suporte. Será realizada a expansão do leito através da variação da velocidade de ascensão do fluido a fim de avaliar a influência da expansão do leito na produção de hidrogênio.