Busca avançada
Ano de início
Entree

O efeito dè gases e da cristalização ná sinterização dè vidros

Processo: 01/05312-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2001
Vigência (Término): 31 de outubro de 2003
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Edgar Dutra Zanotto
Beneficiário:Eduardo Bellini Ferreira
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Vidro

Resumo

A sinterização de vidros é um fenômeno já muito estudado na literatura, mas casos reais de sinterização de partículas de formatos irregulares, tamanhos polidispersos e com cristalização concorrente são raros e ainda pouco entendidos. Dificilmente se atinge 100% da densidade teórica. O enfoque na porosidade residual é complexo e ainda em aberto, apesar de ocorrer na quase totalidade dos trabalhos. Nas amostras em estágio avançado de sinterização, a porosidade residual pode ser decorrente de três mecanismos principais: i) cristalização superficial, que impede a progressão da sinterização por fluxo viscoso; ii) presença de gases insolúveis nos interstícios entre as partículas, que são impedidos de escapar devido à formação de uma barreira superficial densa ou condutos não interconectados; e iii) escape de gases inicialmente dissolvidos no volume vítreo das partículas, que se separam, na forma de bolhas, durante o aquecimento ou cristalização, aumentando o volume de gases retidos no compacto. O objetivo desse projeto é estudar o efeito da presença e/ou geração de gases no interior de compactos de vidros particulados durante a sinterização, e os mecanismos envolvidos no seu aprisionamento e/ou eliminação, visando entender as variáveis controladoras do processo e obter peças vítreas sinterizadas, parcialmente cristalizadas ou não, e totalmente livres de poros. (AU)