Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um circuito adaptativo da impedância negativa a ser utilizado na fonte de corrente em tomografia de impedância elétrica (cinfeit)

Processo: 03/01917-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2003
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2005
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Raul Gonzalez Lima
Beneficiário:Pedro Bertemes Filho
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/05303-4 - Novas estratégias em ventilação artificial: diagnóstico e prevenção do barotrauma/biotrauma através da tomografia de impedância elétrica (TIE), AP.TEM
Auxílio(s) vinculado(s):03/11153-0 - Desenvolvimento de um circuito adaptativo da impedância negativa a ser utilizado na fonte de corrente em tomografia de impedância elétrica (cinfeit), AP.PRIM
Assunto(s):Respiração artificial

Resumo

O monitoramento de pacientes sob ventilação artificial em UTIs é de extrema importância estratégica/metodológica na avaliação da condição pulmonar e definição da estratégia ventilatória. A preservação da microestrutura pulmonar depende desta estratégia ventilatória - que teoricamente deve minimizar o estresse mecânico imposto aos tecidos - e determina o prognóstico do paciente. A técnica da Tomografia de Impedância Elétrica (TIE) vem sendo usada na geração de imagens do interior do corpo humano, particularmente do ciclo respiratório, e potencialmente se presta à monitoração da ventilação artificial, com quantificação do estresse mecânico. Os sistemas TIE utilizam as medições de vários eletrodos para a obtenção da imagem, sendo que uma corrente constante é injetada entre dois eletrodos e uma diferença de potencial é medida entre outros dois eletrodos. Estes potenciais são convertidos em imagens relativas ou absolutas através de um algoritmo matemático. Um dos objetivos do projeto temático 01/05303-4 é a obtenção de imagens absolutas dos pulmões durante o ciclo respiratório em pacientes sob ventilação artificial, pois isto permitiria diagnósticos clínicos mais apurados. (AU)