Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da participação de adrenoceptores beta 2 na nocicepção da articulação temporomandibular

Processo: 10/00717-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Claudia Herrera Tambeli
Beneficiário:Renata Furini
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Articulação temporomandibular   Receptores adrenérgicos   Dor facial   Nociceptividade

Resumo

As disfunções temporomandibulares (DTMs) são condições dolorosas envolvendo a articulação temporomandibular (ATM) e músculos mastigatórios, sendo comumente associadas à inflamação. Apesar das drogas antiinflamatórias não esteroidais (AINEs) serem frequentemente utilizadas no controle de dores inflamatórias, muitos pacientes podem apresentar intolerância ao tratamento prolongado ou não responder aos efeitos de tais medicamentos. Sabe-se que a dor inflamatória possui um componente simpático que pode estar predominando nestes casos. Nesse contexto, dados obtidos recentemente em nosso laboratório indicam que aminas simpatomiméticas são liberadas na ATM de ratos durante processo inflamatório onde contribuem com o desenvolvimento de hiperalgesia através da ativação de adrenoreceptores (ARs) ²2 localizados nessa região. Dados preliminares sugerem que ²-ARs possam participar da nocicepção na ATM, mas o papel desses receptores neste modelo não foi estudado até então. Assim, os objetivos deste trabalho serão: 1- Caracterizar a resposta nociceptiva induzida pela ativação de ARs ²2 na ATM, 2- Verificar se a dor induzida pela ativação de ARs ²2 na ATM é mediada por um mecanismo indireto. 3- Investigar a presença de RNAm de ARs ²1 no gânglio trigeminal na presença e ausência de um processo inflamatório na ATM. Este trabalho será desenvolvido em ratos através da injeção na ATM do agente inflamatório carragenina, dos agonistas de ARs ²2 Salbutamol e Metaproterenol, do antagonista de ARs ²2 ICI 118.551 e do AINE Dexametasona. O entendimento dos mecanismos periféricos envolvidos na dor da ATM poderá contribuir com o tratamento da dor associada à DTM, principalmente no caso de pacientes que não respondem bem ao tratamento com AINEs.