Busca avançada
Ano de início
Entree

Peptídeos bioativos da hidrólise da proteína da semente de amaranto (Amaranthus caudatus L.): Similaridade estrutural com peptídeos hipocolesterolemizantes.

Processo: 07/07762-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:José Alfredo Gomes Arêas
Beneficiário:Vitor Modesto Rosa
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Colesterol   Amaranto   Modelagem molecular

Resumo

Doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no Brasil e no mundo. Certas condições biológicas e hábitos de vida, denominados fatores de risco, são encontrados facilmente em portadores de doenças cardiovasculares. Um dos principais fatores de risco é a dieta que pode contribuir para o aumento dos níveis de LDL-C e triacilgliceróis (TG) e redução do nível de HDL-C. Embora o colesterol da dieta não represente um fator considerável do nível plasmático de colesterol, devido ao seu metabolismo, vários outros componentes da dieta podem colaborar para o controle da sua síntese. Algumas investigações recentes demonstraram que o amaranto quando ingerido em quantidade significativa, é um alimento hipocolesterolemizante observando-se um pronunciado efeito do seu isolado protéico na redução de 48% do colesterol total e 56% do colesterol não-HDL em hamsters hipercolesterolemizados, quando comparados a uma dieta controle. Uma dos possíveis mecanismos desta redução é através de peptídeos biologicamente ativos, liberados no trato gastrintestinal por digestão incompleta das proteínas do amaranto. Peptídeos hipocolesterolemizantes já foram descritos na digestão incompleta da soja. A proposta do presente projeto é antecipar, através da simulação computacional de sua hidrólise, qual o perfil de peptídeos esperado experimentalmente e modelar os demais peptídeos identificados num Mestrado em andamento no grupo e avaliar sua similaridade estrutural com os já descritos como hipocolesterolemizantes. Esta verificação contribuirá para o esclarecimento dos mecanismos pelos quais o amaranto possui tão destacada ação hipocolesterolemizante e colaborará para a disseminação do seu uso pela população.