Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese e caracterização de nitrosilo complexos de rutênio contendo o ligante biquinolina e fotosensibilizadores em sua esfera de coordenação

Processo: 08/01315-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Sofia Nikolaou
Beneficiário:Andréia Nogueira de Carvalho
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Óxido nítrico   Rutênio

Resumo

Neste projeto de Iniciação Científica, pretende-se sintetizar e caracterizar dois novos nitrosilo complexos de rutênio de fórmula cis-[Ru(biq)2(S)(NO)](PF6)3, onde biq = 2,2´-biquinolina e S = resorufin (R) ou resorufin b-D-galactopiranosídeo (RG). A idéia de obter-se tais compostos implica na obtenção de complexos de NO que contenham coordenados ao íon metálico central um fotosensibilizador (o resorufin, com bandas de absorção intensas em l > 500 nm), capazes de sensibilizar a labilização do óxido nítrico a partir da irradiação com luz na região do visível. O fator que justifica esta proposta é a potencialidade de se utilizar este tipo de complexo como agente liberador de espécies reativas de óxido nítrico (ERONs), para atuar como vasodilatador, tumoricida e em terapia fotodinâmica (TFD). Além da incorporação do sensibilizador na esfera de coordenação dos nitroslio complexos de rutênio, a escolha do ligante biquinolina ocorreu em função do fato de que este ligante introduz níveis de menor energia em complexos de rutênio (em comparação com complexos análogos de 2,2´-bipiridina) e da verificação de que a influência de ligantes quinolínicos (isoquinolina e quinazolina) nas propriedades eletrônicas de nitrosilos complexos de rutênio é aumentada em relação à influência de ligantes piridínicos simples (resultado observado em outro trabalho de iniciação científica, Elisa C. Fornari, bolsista PIBIC). Os novos complexos deverão ser caracterizado através de experimentos de espectroscopia UV-vísivel, infra-vermelho, RMN e espectrometria de massa, voltametria cíclica e de pulso diferencial. Por fim, deverão ser realizados testes de fotolabilização do ligante NO através da irradiação dos complexos com luz na região do visível, sendo que a detecção do NO será feita através de medidas amperométricas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)