Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da resistência primária de Helicobacter pylori e tetraciclina em amostras de biópsias gástricas de indivíduos da região de Marília - SP

Processo: 05/04087-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2006
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Speranca
Beneficiário:Cristiane Maria Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças do sistema digestório   Helicobacter pylori   Tetraciclina   Polimorfismo de fragmento de restrição   Resistência a medicamentos

Resumo

A bactéria Helicobacter pylori tem um importante papel na etiologia de doenças gástricas, sendo o agente causador da gastrite crônica, úlcera péptica e duodenal e está associada com o incremento do câncer e linfoma gástricos. A opção terapêutica mais utilizada consiste de um regime duplo ou triplo de antibióticos (claritromicina, tetraciclina, metronidazol e amoxicilina) associado com um inibidor de bomba de prótons. Ainda não há um regime padrão para tratamento da infecção por H. pylori, sendo frequente a ocorrência de indivíduos que não respondem aos medicamentos, mantendo a infecção. Os fatores envolvidos na falha do tratamento da infecção por H. pylori inclui a ineficiência da penetração do antibiótico na mucosa gástrica, a inativação do antibiótico pelo pH baixo do estômago, a falta de adesão do tratamento pelo paciente, além da emergência de cepas de H. pylori resistentes a antibióticos. A resistência do H. pylori a amoxicilina e a tetraciclina é muito baixa na maioria dos países, sendo de menos de 1% e de 0.5 a 5.3%, respectivamente. Entretanto, nos últimos anos tem sido observado o aumento do número de cepas de H. pylori resistentes à tetraciclina. Até o momento, tem sido descrito que a resistência de H. pylori a tetraciclina é devido a um único mecanismo. Este consiste da mutação de três bases nas posições 926, 927 e 928 do gene que codifica a fração 16S, de AGA para TTC. Mutações em uma ou duas dessas posições também implicam em resistência a tetraciclina em um nível menor. Sendo o H. pylori um organismo microaerofílico, de crescimento lento e de difícil cultivo, não há testes padronizados de sensibilidade a antibióticos. Assim, a utilização de testes moleculares consistindo da detecção direta dos genes que conferem resistência a este microrganismo é de grande utilidade. Portanto, considerando a importância desta bactéria na etiologia de doenças gástricas em longo prazo e o crescente desenvolvimento de resistência aos antibióticos por H. pylori, este projeto visa à investigação de resistência a tetraciclina em amostras clínicas de indivíduos da região de Marília; SP, submetidos à endoscopia digestiva alta, através do diagnóstico de H. pylori por PCR e análise de mutações envolvidas na resistência da bactéria a tetraciclina por fragmentos de restrição. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SUZUKI, RODRIGO BUZINARO; ALMEIDA, CRISTIANE MARIA; SPERANCA, MARCIA APARECIDA. Absence of Helicobacter pylori high tetracycline resistant 16S rDNA AGA926-928TTC genotype in gastric biopsy specimens from dyspeptic patients of a city in the interior of Sao Paulo, Brazil. BMC GASTROENTEROLOGY, v. 12, p. 49, MAY 17 2012. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.