Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da ritmicidade de secreção de melatonina em colostro de mães, clinicamente sadias e com doenças sistêmicas ou infecciosas: papel da melatonina sobre a atividade fagocitária e microbicida de células do colostro para Escherichia coli enteropatogênica (EPEC)

Processo: 03/09248-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2004
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Regina Pekelmann Markus
Beneficiário:Gerlandia Neres Pontes
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/02957-6 - Glândula pineal e melatonina - mecanismo de temporização de respostas neurais e processos inflamatórios, AP.TEM
Assunto(s):Colostro   Fagocitose   Melatonina   Ritmo circadiano

Resumo

A diarréia é um fator de mortalidade infantil em populações de baixa renda, sendo o aleitamento materno um importante e dispendioso fator de proteção ao recém-nascido. Dentre os fatores de proteção presentes no colostro humano, está a SlgA, células fagocitárias e vários hormônios. Entre esses hormônios, está a melatonina que é secretada na fase escuro pela glândula pineal. O recém-nascido não produz melatonina e a obtém através do aleitamento. Recentemente confirmamos a presença de melatonina em colostro e leite humano de mães normais e demonstramos que este hormônio aumenta à atividade fagocitária e microbicida das células do colostro sobre EPEC. Neste projeto será avaliada a secreção de melatonina em colostro de mães sadias ou que apresentem processos inflamatórios ou infecciosos da mama ou ainda mães hipertensas e/ou diabéticas (parto normal, cesareano ou fórceps). Com esta abordagem será possível avaliar se a secreção de melatonina no colostro é afetada pelo tipo de parto, estado clínico geral da mãe ou da mama. Também será estudado o efeito da melatonina sobre células isoladas do colostro. Este trabalho permitirá o entendimento da interação entre mães e neonatos sobre os fenômenos de sincronização dos ritmos biológicos e também evidenciará o mecanismo de ação da melatonina sobre células do colostro. (AU)