Busca avançada
Ano de início
Entree

Quitosana e fibroína sulfonatadas doadoras de óxido nítrico para a obtenção de superfícies anti-trombogênicas

Processo: 07/59835-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Marcelo Ganzarolli de Oliveira
Beneficiário:Rodrigo Silveira Vieira
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Quitosana   Biomateriais   Óxido nítrico   Trombose

Resumo

Materiais poliméricos têm sido utilizados como biomateriais para diferentes aplicações em contato com o sangue, como coração artificial, cateteres e stents endovasculares e intracoronários, dispositivos de circulação sangüínea extracorpórea, oxigenadores, sensores químicos de implante vascular, isolamento elétrico em marca-passos e desfibriladores e componentes de unidades de hemodiálise. Porém, a maior parte destas aplicações é limitada pelas características trombogênicas das superfícies poliméricas. Modificações químicas destes polímeros têm sido propostas para se minimizar a adsorção das proteínas do sangue, adesão e ativação de plaquetas e formação de trombo. Heparina, um glicosaminoglicano altamente sulfatado, é um agente anticoagulante freqüentemente usado para melhorar a hemo-compatibilidade destes materiais. Neste trabalho serão usados dois polímeros naturais, a quitosana e a fibroína de seda, modificados quimicamente através de reações de sulfonatação, visando mimetizar a heparina. Alem disso, estes polímeros serão também modificados através da incorporação de S-nitroso-glutationa (GSNO), um doador de oxido nítrico (NO), uma vez que o NO é principal agente anti-coagulante produzido na vasculatura em mamíferos. Quitosana e fibroína sulfonatadas contendo GSNO serão preparadas com base em técnicas já estabelecidas no grupo de pesquisa e utilizadas para o recobrimento de superfícies de acrílico, poliéster, poliuretana e aço inox. Estes substratos recobertos serão expostos ao concentrado rico em plaquetas e ao sangue total para a análise da adsorção de fibrinogênio e albumina por espectrofotometria e da adesão de plaquetas e leucócitos por microscopia de fluorescência e de força atômica. Os materiais recobertos serão caracterizados morfologicamente através de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Filmes isolados de quitosana e fibroína serão analisados termicamente por calorimetria exploratória diferencial (DSC) e mecanicamente em ensaios de tensão-estiramento. (AU)