Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e caracterizacaodo componente ativo de fração II-III do veneno de Tityus serrulatus com ação sobre o sistema complemento. estudos in vitro

Processo: 05/00114-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2005
Vigência (Término): 31 de agosto de 2006
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Eliane Candiani Arantes Braga
Beneficiário:Kelly de Paula Souza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Tityus serrulatus   Purificação   Sistema do complemento

Resumo

RESUMO DO PROJETOO veneno de escorpião é uma possível fonte de substâncias de interesse farmacêutico e o estudo do mesmo é justificável devido às suas inúmeras aplicações, estendendo-se desde a busca de uma terapia mais efetiva para o envenenamento até o esclarecimento de mecanismos fisiológicos de vários sistemas biológicos.É característica dos venenos de escorpião a complexidade na constituição química e nos efeitos farmacológicos. Estudos recentes (Bertazzi et al., submetido) demonstram que o veneno de Tityus serrulatus (VTs) é capaz de ativar o sistema complemento (SC) levando à redução da atividade lítica do soro, clivagem de fator B e C3 e geração de fatores quimiotáticos.Durante a ativação do SC ocorre a liberação de fragmentos protéicos, as anafilatoxinas (C3a, C4a e C5a), as quais podem intensificar o quadro de edema pulmonar que é uma das principais causas da letalidade nos envenenamentos escorpiônicos. Outro dado que sugere a participação do complemento neste processo é a resposta inflamatória induzida em decorrência do envenenamento.O presente projeto tem como objetivo isolar e caracterizar o componente ativo da fração II-III do VTs com ação sobre o SC, analisando o possível mecanismo pelo qual as toxinas estão atuando sobre componentes específicos deste sistema in vitro.A avaliação do mecanismo de ação do VTs e suas toxinas sobre o SC poderá revelar características próprias, diferentes dos venenos até então estudados, podendo eventualmente auxiliar na elucidação do processo inflamatório e do quadro de edema desencadeados pelo veneno, bem como no desenvolvimento de estratégia terapêutica mais efetiva.