Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da s-nitrosação das proteínas IR, IRS-1 e da Akt no músculo esquelético em modelo experimental de envelhecimento

Processo: 09/16357-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2010
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Barreto Campello Carvalheira
Beneficiário:Eduardo Rochete Ropelle
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57952-5 - Instituto Nacional de Obesidade e Diabetes, AP.TEM
Assunto(s):Envelhecimento   Diabetes mellitus tipo 2   Resistência à insulina   Óxido nítrico sintase tipo II   S-nitrosação   Fisiologia musculoesquelética   Idosos

Resumo

O envelhecimento está associado ao declínio de diversas funções fisiológicas humanas. Substanciais evidências demonstram que o aumento da idade está associado com a diminuição da tolerância à glicose e aumento da incidência de diabetes do tipo 2. Postula-se que diversas moléculas inflamatórias sejam responsáveis pelo desenvolvimento da resistência à insulina em idosos, dentre elas destaca-se a Óxido Nítrico Sintase induzível, a iNOS. Em modelos experimentais de obesidade, estudos demonstraram que o óxido nítrico (NO) liberado a partir do aumento da expressão da iNOS, promove resistência à insulina através do fenômeno conhecido como S-nitrosação. Nos últimos anos, a S-nitrosação vem sendo valorizada como uma das principais formas de modificação pós-transcripcional, com capacidade de alteração de estrutura e função de diversas proteínas. O objetivo deste projeto será avaliar o papel da iNOS na indução da S-nitrosação das proteínas que compõem a cascata de sinalização da insulina (IR, IRS-1 e Akt), no músculo esquelético em modelo experimental de envelhecimento, estabelecendo a relação entre este fenômeno com o desenvolvimento da resistência à insulina. Para isso, utilizaremos abordagens farmacológicas (inibidor da iNOS), fisiológicas (exercício físico) e genética (camundongos iNOS-/-) para investigar o papel da iNOS no desenvolvimento da resistência à insulina durante o envelhecimento. Estes achados poderão abrir novas perspectivas para a prevenção ou tratamento da resistência à insulina em indivíduos idosos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)