Busca avançada
Ano de início
Entree

Competição política, comportamento eleitoral e políticas distributivas no Brasil (1998-2006)

Processo: 09/14768-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Marta Teresa da Silva Arretche
Beneficiário:Fernando Henrique Eduardo Guarnieri
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57843-1 - Centro de Estudos da Metrópole, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):13/04514-9 - Novos modelos espaciais de competição política aplicados ao caso brasileiro e em perspectiva comparada, BE.EP.PD
Assunto(s):Comportamento eleitoral

Resumo

A vitória de Lula em 2006 deve-se aos efeitos do programa "Bolsa Família"? O Partido dos Trabalhadores (PT) se tornou um partido menos ideológico e mais pragmático, recorrendo a políticas clientelistas? Como o PT e os demais partidos mobilizam os eleitores e quais eleitores eles mobilizam? Quais os determinantes das estratégias partidárias? Qual o impacto destas estratégias no comportamento eleitoral e no resultado das eleições? O presente projeto tem como objetivo responder a estas perguntas enfrentando dois problemas com os quais as interpretações correntes sobre o que ocorre na arena eleitoral brasileira se deparam. O primeiro problema está na ausência de um modelo analítico que dê conta da complexidade da competição política no Brasil, no qual vigora o multipartidarismo e o espaço político é multidimensional. O segundo problema se refere à dificuldade de inferir comportamento individual a partir de dados agregados, isto é, à dificuldade de determinar quais grupos de eleitores votaram em determinados partidos em determinada eleição.Pretendemos utilizar algumas ferramentas inovadoras que permitem, por um lado, adaptar os modelos de competição política existentes para situações como a brasileira, na qual vários partidos competem e os eleitores se importam com mais de um tipo de política e, por outro, lidar com o problema de inferência ecológica, isto é, a inferência de atributos individuais a partir de dados agregados. Com isso, pretendemos contribuir para colocar em bases mais sólidas a análise da competição política no Brasil.A base de dados, a ser utilizada, é original, uma vez que, sob a iniciativa do Prof. Fernando Limongi, foram coletados no Centro de Estudos da Metrópole dados para todas as disputas eleitorais no território nacional entre 1998 e 2006, agregados por seções eleitorais.A combinação de um modelo analítico adequado com uma base de dados abrangente e original permitirá:*Compreender como os partidos brasileiros mobilizam seus eleitores;*identificar as bases sociais dos partidos brasileiros;*compreender como certos segmentos sociais, mais especificamente os pobres, votam;*examinar a tese de que as metrópoles apresentam comportamento eleitoral diferenciado;

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GLAUCO PERES DA SILVA; FERNANDO HENRIQUE GUARNIERI. Comments on When is Statistical Significance not Significant?. Brazilian Political Science Review, v. 8, n. 2, p. 133-136, Set. 2014.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.