Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da atividade apoptótica de alcalóides isolados de Pterogyne nitens em linhagem celular de carcinoma ductal invasivo de mama

Processo: 07/53952-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Christiane Pienna Soares
Beneficiário:Camila Araki
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Alcaloides   Citotoxicidade   Apoptose   Pterogyne nitens   Neoplasias mamárias

Resumo

Diversos estudos têm sido conduzidos na busca de drogas e substâncias, com atividade anticarcinogênica, procurando-se identificar aquelas com ação sítio dirigida a estruturas subcelulares que regulem a proliferação celular e/ou o controle de morte celular programada. A vegetação do Cerrado e Mata Atlântica possui expressiva riqueza de espécies e as substâncias isoladas demonstram considerável quantidade e diversidade de alcalóides com atividade citotóxica em linhagens celulares malignas. Entretanto; a maioria das substâncias citotóxicas induz expressiva morte celular por necrose, que é uma forma violenta de morte celular e de ação devastadora para as células malignas e normais. Dessa forma, tem-se buscado estudar novos compostos com capacidade de restabelecer a apoptose de células malignas de carcinoma ductal invasivo de mama, cuja terapia convencional nem sempre é bem sucedida. Assim, o presente estudo tem por objetivo avaliar a capacidade dos alcalóides, isolados de Pterogyne nitens, em promover a morte celular por apoptose em linhagem celular tumoral de carcinoma ductal invasivo de mama (ZR 7531). A citotoxicidade será avaliada pelo ensaio do MTT, determinando atividade dose-resposta e tempo-resposta. A avaliação da potencial atividade de apoptose será avaliada pelos ensaios de Hoechst e lodeto e Anexina V por citometria de fluxo. Como não é possível no ensaio de Anexina V identificar diferencialmente apoptose tardia e necrose, de forma complementar será procedido o ensaio de Hoechst e lodeto. (AU)