Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento de genotoxicidade de antimutagenese de frações semipurificadas extraídas de Pterogyne nitens utilizando o ensaio do micronúcleo em Tradescantia pallida

Processo: 06/60891-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Christiane Pienna Soares
Beneficiário:Fernanda Gargantini Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/07932-7 - Busca de compostos naturais antitumorais, antioxidantes, antiinflamatórios, antidiabéticos, inibidores de acetilcolinesterase e mieloperoxidase no Cerrado e na Mata Atlântica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Extratos vegetais   Tradescantia pallida   Genotoxicidade   Testes de mutagenicidade

Resumo

As plantas possuem produtos biologicamente ativos responsáveis pela sua atividade farmacológica ou toxicidade. Em busca da investigação de novas drogas, ensaios de genotoxicidade tornam-se cada vez mais necessários. Em contrapartida, a procura de compostos com atividade antimutagênica são necessárias, para a proteção dos seres humanos expostos continuamente a agentes mutagênicos ambientais, alimentícios, entre outros. A Pterogynenitens pertencente à família Leguminosae-Caesalpioideae é uma dessas espécies que pouco se sabe sobre seu valor medicinal, potencial genotóxico e antimutagênico. A avaliação do potencial genotóxico e antimutagênico das frações semipurificadas de P. nitens será realizada através do ensaio de micronúcleos em Tradescantia pallida. Este teste possui alta sensibilidade a agentes tóxicos e baseia-se na análise de micronúcleos resultantes da quebra de cromossomos em células-mãe meióticas de grão de pólen. Para testar a genotoxicidade, hastes de T. pallida são coletadas, para os grupos teste (frações semipurificadas de P. nitens em diferentes concentrações) e controles (positivo, negativo e de veículo). As frações que não forem genotóxicas serão avaliadas para o seu potencial efeito antimutagênico, utilizando ensaio de proteção com as frações e submetendo as inflorescências de T.pallida a um agente sabidamente indutor de quebra de DNA (formol 10000 ppm). Esse ensaio será acompanhado de controles positivo, negativo e de veículo. (AU)