Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento inicial de laranja valencia sobre dois porta-enxertos em funcao da adubacao nitrogenada com fertilizante de liberacao lenta no plantio.

Processo: 00/11129-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2001
Vigência (Término): 30 de abril de 2002
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Francisco de Assis Alves Mourão Filho
Beneficiário:Eduardo Augusto Girardi
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Cultivo protegido   Nutrição mineral de plantas   Propagação   Produção vegetal   Fruticultura   Citricultura

Resumo

O sistema de produção de mudas cítricas certificadas implica uso de viveiros telados associados a mudas constituídas de porta-enxertos e borbulhas rigorosamente selecionados, produzidas em substratos especiais em condições de total segurança fitossanitária. O sistema é a mais eficiente forma de prevenção de doenças como CVC e cancro cítrico. O estudo do manejo nutricional das mudas cítricas é fator de otimização da produção. Dentro deste contexto, o presente trabalho visa avaliar a influência de quatro fontes de fertilizantes no desenvolvimento de mudas de laranja 'Valência' enxertada sobre dois porta-enxertos, limão 'Cravo' e citrumelo 'Swingle'. As fontes correspondem a um adubo de liberação lenta, um termofosfato magnesiano e dois produtos comerciais de fertirrigação. Também será avaliada a influência de diferentes períodos de aplicação dos fertilizantes no crescimento das mudas. Serão avaliados como dados biométricos: comprimento de porta-enxertos e enxerto, área foliar final, percentagem de pagamento, massas verde e seca da copa e da raiz das mudas enxertadas, análise foliar e do substrato e pH, temperatura e eletrocondutividade do substrato. Serão realizadas análises de variância e Teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade entre os tratamentos, em sistema SAS. O trabalho inicia-se com as mudas recém transplantadas de tubetes para recipientes plásticos e termina com as mudas enxertadas prontas para a comercialização. (AU)