Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do balanço energético em estágios ontogenéticos selecionados do camarão-da-amazônia Macrobrachium amazonicum

Processo: 07/56553-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Wagner Cotroni Valenti
Beneficiário:Alessandra da Silva Augusto
Instituição-sede: Centro de Aquicultura (CAUNESP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Balanço de energia   Excreção

Resumo

A aqüicultura tem apresentado importante crescimento, principalmente nos países em desenvolvimento. Embora o cultivo de camarões marinhos ainda predomine na carcinicultura, a produção de camarões de água doce apresenta significantes vantagens como maior resistência a doenças, larvicultura mais simples e reduzido impacto ambiental. Até recentemente, o camarão dulcícola Macrobrachium rosenbergii era a espécie predominante na carcinicultura, mas já foi superado por M. nipponense. No Brasil, o camarão Macrobrachium amazonicum é a espécie mais promissora por apresentar fácil manutenção e reprodução em cativeiro e rápido crescimento, além de ser abundante na maior parte do país. Desde 2001 o Centro de Aqüicultura da UNESP vem desenvolvendo um programa integrado de pesquisa em carcinicultura com M. amazonicum. Aspectos como reprodução, larvicultura, berçário, engorda, genética e processamento têm sido avaliados. No entanto, a compreensão dos processos fisiológicos que envolvem a utilização de energia nos estágios ontogenéticos de M. amazonicum é essencial para a obtenção de informações sobre o desenvolvimento de sistemas e métodos de produção dessa espécie, além de gerar dados para o melhor entendimento de seu papel ecológico no ecossistema. Visto que o ciclo de vida dos crustáceos é caracterizado por alterações morfológicas e comportamentais, é possível que tais mudanças sejam acompanhadas por alterações fisiológicas associadas com o uso da energia nos diferentes estágios ontogenéticos. Assim, pretende-se avaliar as estratégias fisiológicas de uso energético em estágios ontogenéticos selecionados do camarão M. amazonicum. Para tanto, será determinada a energia ganha na ingestão alimentar e canalizada para o crescimento, metabolismo, fezes e exúvia. Peso seco, consumo de oxigênio e amônia-N e conteúdo energético serão determinados em larvas (zoeas I a IX), pós-larvas (com 1, 7 e 14 dias após a metamorfose), juvenis e adultos. Parâmetros gerados como o índice de eficiência do crescimento, energia assimilada e balanço energético poderão ser utilizados na cultura deM. Amazonicum contribuído para a compensação do metabolismo,e crescimento da espécie. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
AUGUSTO, ALESSANDRA; VALENTI, WAGNER C. ARE THERE ANY PHYSIOLOGICAL DIFFERENCES BETWEEN THE MALE MORPHOTYPES OF THE FRESHWATER SHRIMP MACROBRACHIUM AMAZONICUM (HELLER, 1862) (CARIDEA: PALAEMONIDAE)?. Journal of Crustacean Biology, v. 36, n. 5, p. 716-723, SEP 2016. Citações Web of Science: 5.
MAZZARELLI, C. C. M.; SANTOS, M. R.; AMORIM, V, R.; AUGUSTO, A. Effect of salinity on the metabolism and osmoregulation of selected ontogenetic stages of an amazon population of Macrobrachium amazonicum shrimp (Decapoda, Palaemonidae). Brazilian Journal of Biology, v. 75, n. 2, p. 372-379, MAY 2015. Citações Web of Science: 6.
AUGUSTO, ALESSANDRA; MASUI, DOUGLAS CHODI. Sex and reproductive stage differences in the growth, metabolism, feed, fecal production, excretion and energy budget of the Amazon River prawn (Macrobrachium amazonicum). MARINE AND FRESHWATER BEHAVIOUR AND PHYSIOLOGY, v. 47, n. 6, p. 373-388, 2014. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.