Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação do sistema serotonérgico do hipotálamo ventromedial em diferentes respostas comportamentais de defesa

Processo: 07/56342-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2007
Vigência (Término): 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Milena de Barros Viana
Beneficiário:Elaine Soares da Silva
Instituição-sede: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos, SP, Brasil
Assunto(s):Serotonina   Labirinto em cruz elevado   Modelos animais   Ansiedade

Resumo

O hipotálamo é uma estrutura de fundamental importância para a adaptação do organismo a situações de estresse, provocadas por estímulos aversivos ou por qualquer situação que altere o equilíbrio homeostático. Dentre os diversos núcleos hipotalâmicos, os núcleos do grupo medial têm sido relacionados à modulação de respostas comportamentais de defesa e das alterações fisiológicas e emocionais que as acompanham (como o medo e ansiedade). Além do enfoque atribuído a aspectos neuroanatômicos, o estudo da fisiopatologia da ansiedade tem dedicado considerável atenção ao envolvimento de diferentes sistemas neuroquímicos na gênese de respostas comportamentais e fisiológicas a estímulos aversivos. Neste sentido, a participação dos sistemas GABAérgico e serotonérgico tem sido ressaltada pela eficácia clínica de compostos farmacológicos que interferem com estes sistemas de neurotransmissão no tratamento de diferentes distúrbios de ansiedade. O objetivo deste trabalho é investigar a modulação exercida pelo sistema serotonérgico de um núcleo hipotalâmico do grupo medial, a porção dorsomedial do hipotálamo ventromedial (HVMdm), sobre respostas comportamentais de defesa. Ratos Wistar machos serão administrados intra-HVMdm com serotonina, com o antagonista de receptores 1A WAY-100636 ou com o antagonista 2A/2C quetanserina e, 10 min depois, submetidos ao modelo do labirinto em T elevado (LTE). O modelo, composto por dois braços abertos dispostos perpendicularmente a um fechado, gera em um mesmo rato uma resposta relacionada à inibição comportamental (esquiva inibitória) e uma relacionada à ativação motora (fuga). Estas respostas comportamentais estão respectivamente relacionadas, em termos de psicopatologia, ao distúrbio da ansiedade generalizada e ao pânico. Para investigar o efeito das drogas sobre a atividade exploratória, os animais serão também testados em um campo aberto após os testes com o LTE. É importante ressaltar que este trabalho encontra-se relacionado a um projeto de auxílio regular à pesquisa aprovado pela FAPESP (Processo No. 06/56950-3), sendo continuação de outro projeto (Processo No. 02/14174-6), já encerrado, e também financiado pela FAPESP. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.