Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma plataforma analítica para bioprospecção de receptores acoplados a proteínas G

Processo: 07/01330-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2007
Vigência (Término): 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Mario Sergio Palma
Beneficiário:Lucilene Delazari dos Santos
Instituição-sede: Centro de Estudos de Insetos Sociais (CEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil

Resumo

Em organismos multicelulares, a manutenção da homeostasia é dependente de um fluxo contínuo do processamento de informações através de uma complexa rede de células. Além disso, a resposta do organismo para mudanças e/ou alterações em seu desenvolvimento, sinais intercelulares geralmente são traduzidos, amplificados e convertidos para respostas fisiologicamente apropriadas pelo sistema de transdução de sinais, ao nível da membrana plasmática. Um grupo altamente conservado de proteínas G são as chaves determinantes da especificidade e características temporais de muitos processos sinalizadores para os mecanismos de transdução de sinal. Atualmente mais de 50% dos medicamentos mais utilizados no mundo atuam direta ou indiretamente, ativando ou bloqueando receptores acoplados às proteínas G. Desta maneira, há um grande esforço por parte das indústrias farmacêuticas na identificação destes receptores em células de diferentes tecidos e sistemas fisiológicos; entretanto, tal tarefa depende do desenvolvimento de plataformas de arranjos protéicos, que são muito caras e sofisticadas, inviabilizando sua utilização no meio acadêmico. Sabe-se que alguns peptídeos (especialmente aqueles de característica policatiônica) servem como ligantes-modelo seletivos para proteínas G. Dessa maneira, pode-se utilizar as toxinas peptídicas dos venenos de vespas sociais acopladas às matrizes cromatográficas insolúveis, para realização de cromatografias de afinidade de extratos membranares de diferentes células-alvo destes peptídeos, associadas a procedimentos de eletroforese 2-D, digestão proteolítica in gel, análises de espectrometria de massas tandem e ferramentas de bioinformática, para identificação das proteínas G selecionadas durante o processo cromatográfico. Isto permitirá o desenvolvimento de uma plataforma analítica para a identificação de proteínas G, que são alvos moleculares de processos de ativação celular, por parte dos peptídeos policatiônicos dos venenos de vespas sociais. Esta abordagem também permitirá a utilização de vários peptídeos diferentes, oriundos de venenos de diferentes espécies de vespas de nossa biodiversidade. Uma vez desenvolvida e implantada esta plataforma, a mesma poderá ser aplicada a diferentes sistemas de ligantes de proteínas G e disponibilizada para a comunidade do programa Bioprospecta, ou mesmo poderá ser reproduzida em outros laboratórios. (AU)