Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de bioensaios para a avaliação de neurotoxidade de produtos naturais no sistema nervoso central de roedores

Processo: 05/02544-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2005
Vigência (Término): 31 de outubro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Mario Sergio Palma
Beneficiário:Lilian Mari Marcondes Cesar Tognoli
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Neurotoxicidade   Espectrometria de massas   Produtos naturais   Química de produtos naturais   Imuno-histoquímica   Bioensaio

Resumo

As secreções tóxicas de muitos artrópodes são compostas por peptídeos, acilpoliaminas e alcalóides que apresentam efeitos farmacológicos em muitos sistemas biológicos, incluindo o sistema nervoso. Os compostos químicos presentes nessas secreções possuem ações neurológicas que são utilizadas na captura de presas e na defesa contra predadores. Isso ocorre porque essas neurotoxinas agem principalmente afetando as transmissões sinápticas e o funcionamento dos canais iônicos e causando a despolarização de fibras musculares e/ou de terminações nervosas.Desde o início da década de 80 descobriu-se que compostos não protéico/peptídicos de baixas massas moleculares (< 1KDa) possuíam importância tanto acadêmica quanto aplicada. Muitos desses compostos como as acilpoliaminas, nucleosídeo toxinas, b-carbolinas e diazenaril organometálicos vem sendo caracterizados quimicamente nesses últimos anos, a partir das secreções tóxicas de aranhas e vespas, existindo uma crescente necessidade de se investigar a ação dos mesmos em sistemas biológicos, a fim de contribuir para a elucidação de atividades que justifiquem suas aplicações como bioinseticidas, fármacos, ou ainda como ferramentas de estudos em pesquisas neurocientíficas.Com a implantação do programa Bioprospecta, certamente muitos novos produtos naturais serão identificados e caracterizados quimicamente a partir de animais, plantas e microorganismos que compreendem a biodiversidade do Estado de São Paulo. Aqueles compostos oriundos de secreções tóxicas de artrópodes, bem como de outras origens biológicas poderão apresentar neurotoxicidade, exigindo ensaios específicos capazes de serem utilizados rotineiramente dentro do programa de Bioprospecção.Esses compostos de baixas massas moleculares isolados de aranhas e vespas sociais serão administrados de maneira intracerebroventricular ou endovenosa em ratos Wistar e terão suas ações biológicas mapeadas no sistema nervoso central (SNC) de ratos, por meio da análise da expressão da proteína fos. A proteína fos é um fator de transcrição induzível, cuja ativação é uma ferramenta sensível para mapear diferentes estímulos farmacológicos, elétricos e fisiológicos em neurônios ativados no SNC. A partir de ensaios imunohistoquímicos, as áreas que direta ou indiretamente sofrerem a ação do composto em análise terão os núcleos de seus neurônios evidenciados, indicando a possível ação da neurotoxina em estudo no SNC desses roedores. Esses neurônios que expressarem fos serão marcados e caracterizados por meio de duplas marcações (fos/tirosina hidroxilase, fos/NMR1, fos/rGlu2/3, fos/orexina, fos/5HT2A) ou por meio de hidridização in situ (GAD-67). (AU)