Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição espacial em subpopulações de Lytocaryum hoehnei (Burret) Toledo (Arecaceae) na Reserva Florestal do Morro Grande, município de Cotia, região metropolitana de São Paulo

Processo: 01/05281-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Flavio Antonio Maës dos Santos
Beneficiário:Ana Alice Aguiar Eleuterio
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/05123-4 - Conservação da biodiversidade em paisagens fragmentadas no Planalto Atlântico de São Paulo (Brasil), AP.BTA.TEM
Assunto(s):Lytocaryum hoehnei   Densidade de plantio   Ecologia de populações

Resumo

Através do presente estudo pretende-se detectar possíveis variações espaciais na densidade e estrutura populacional da palmeira Lytocaryiim hoehnei (Burret) Toledo na Reserva Florestal do Morro Grande, região de Cotia Possíveis influências da densidade sobre a dinâmica populacional serão investigadas através de dois métodos de estimativa de seus efeitos em subpopulações no interior desse remanescente florestal. Esses métodos serão comparados entre si, possibilitando também a comparação dos efeitos da densidade nas manchas analisadas. Ambos baseiam-se em relações de número, distância e tamanho entre plantas focais e vizinhas. As interações competitivas entre as plantas focais e vizinhas coespecíficas serão analisadas a partir de um modelo assimétrico considerando os tamanhos dos indivíduos. Em uma das subpopulações estudada ainda será examinado o padrão espacial de L. hoehnei. A espécie em estudo é caracterizada como uma palmeira de sub-bosque, de ocorrência restrita aos arredores da cidade de São Paulo, encontrando-se ameaçada pela fragmentação e conseqüente redução de habitat. O presente trabalho visa a contribuir para o conhecimento da distribuição da espécie através do entendimento das relações espaciais nas subpopulações e entre os indivíduos. Essa distribuição é uma das responsáveis pelo crescimento populacional e pela persistência da espécie na região, sendo de essencial valia para a conservação da mesma. (AU)