Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do padrão de metilação dos genes SOCS1, SOCS2, SOCS3 em células do epitélio gengival e em células do tecido conjuntivo gengival durante a inflamação periodontal crônica

Processo: 10/02338-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Ana Paula de Souza
Beneficiário:Denise Carleto Andia
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Periodontite   Inflamação   Biologia molecular

Resumo

A infecção-inflamação tem sido sugerida como fator implicado na etiologia de vários cânceres, inclusive o câncer de boca. Dados epidemiológicos suportam esta hipótese devido à observação de que a perda de inserção conjuntiva (CAL) devido à periodontite crônica se associa ao risco de desenvolvimento de tumores malignos (OR=4,57, 95% CI:2,25-9,30) e lesões pré-malignas da cavidade bucal (OR=1,55, 95% CI:1,06-2,27), mas não à presença de qualquer outra lesão dos tecidos da boca (Tezal et al. 2005).Entretanto, o conhecimento sobre os mecanismos pelos quais a inflamação aumentaria o risco ao desenvolvimento de tumores ainda não está claro. Sabe-se que durante a inflamação ocorre a produção de moléculas reativas derivadas do oxigênio que podem gerar stress oxidativo nas células capaz de lesar moléculas de proteínas, lipídeos e o DNA. Entre as alterações no DNA promovidas por estas moléculas reativas estão as alterações do padrão de metilação em dinucleotídeos CpG, em regiões controladoras da transcrição gênica. Metilação em genes que controlam eventos relacionados ao ciclo celular, proliferação, divisão celular e apoptose, ou seja, em genes supressores de tumores, gera risco ao desenvolvimento do câncer uma vez que pode diminuir ou silenciar por completo a expressão destes genes protetores. Por outro lado, a perda de metilação em genes que propiciam estas funções eleva o risco ao desenvolvimento de tumores.Os genes SOCS1, SOCS2 e SOCS3 estão envolvidos com o controle da resposta imune-inflamatória, atuando como inibidores da exacerbação deste processo, pelo bloqueio da via de sinalização intracelular JAK-STAT. São considerados genes supressores de tumores porque inibem o estímulo proliferativo gerado pela ação de certas citocinas da inflamação sobre as células.O objetivo deste estudo será investigar o padrão de metilação nestes genes SOCS, em tecido epitelial gengival e tecido conjuntivo gengival micro dissecado, proveniente de indivíduos com inflamação periodontal crônica moderada a severa e indivíduos com periodonto saudável, pareados por idade e sexo, com o objetivo de detectar possíveis alterações que possam ser oriundas da inflamação periodontal crônica.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ANDIA, DENISE C.; PLANELLO, ALINE C.; PORTINHO, DANIELLE; DA SILVA, RODRIGO A.; SALMON, CRISTIANE R.; SALLUM, ENILSON A.; NOCITI JUNIOR, FRANCISCO H.; DE SOUZA, ANA P. DNA methylation analysis of SOCS1, SOCS3, and LINE-1 in microdissected gingival tissue. CLINICAL ORAL INVESTIGATIONS, v. 19, n. 9, p. 2337-2344, DEC 2015. Citações Web of Science: 3.
BAPTISTA, N. B.; PORTINHO, D.; CASARIN, R. C. V.; VALE, H. F.; CASATI, M. Z.; DE SOUZA, A. P.; ANDIA, D. C. DNA methylation levels of SOCS1 and LINE-1 in oral epithelial cells from aggressive periodontitis patients. ARCHIVES OF ORAL BIOLOGY, v. 59, n. 7, p. 670-678, JUL 2014. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.