Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do efeito das frações solúvel vs solúvel + insolúvel do óleo diesel em cascudos e tilápias

Processo: 09/11523-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Eduardo Alves de Almeida
Beneficiário:Ana Leticia Madeira Sanches
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/03873-1 - Estudo de variações bioquímicas em tilápias, como biomarcadores de contaminação ambiental, AP.JP
Assunto(s):Estresse oxidativo   Tilápia   Biotransformação   Biomarcadores   Óleo diesel   Ecotoxicologia   Cascudo

Resumo

Um dos objetivos do projeto Jovem Pesquisador ao qual esta bolsa estará vinculada, é o estudo comparativo da toxicidade de diversos compostos em tilápias e cascudos. Um destes estudos envolveu a análise de diversos biomarcadores nestas espécies diferentes de peixes expostas ao óleo diesel, que possui uma fração que é solúvel e outra insolúvel na água. Teoricamente as tilápias, por terem hábito nectonico, deveriam explorar toda a coluna d'água e, portanto, teriam acesso tanto à fração solúvel quanto à insolúvel do óleo diesel. Os cascudos, de hábito betônico, teriam mais acesso ao fundo dos aquários e menos à superfície, estando mais sujeitos à fração solúvel do que à insolúvel do diesel. Entretanto, os cascudos apresentam um comportamento de subidas periódicas à superfície para englobarem bolhas de ar e levar ao fundo, denominado de respiração complementar aérea, fato que não conhecíamos por completo nesta espécie. Portanto, possuem contatos periódicos com a superfície, ao contrário do que foi proposto no projeto. Com este comportamento, é provável que ao englobar as bolhas de ar para a respiração aérea, levem ao fundo porções da fração insolúvel do diesel, o que compromete o estudo da hipótese inicial do projeto. Assim, a presente proposta destina-se a estudar a influência da fração solúvel versus fração solúvel + insolúvel do óleo diesel tanto em tilápias quanto em cascudos, de forma a observar se realmente a soma das duas frações é mais deletéria aos peixes do que sua exposição apenas à fração solúvel. Para tanto serão mantidos animais controles em aquários sem tratamentos, e animais em aquários especiais que serão feitos sob encomenda. Estes aquários terão 80 cm de largura, 50 cm de profundidade e 40 cm de altura, e terão uma divisória de vidro no meio, separando o aquário em dois ambientes de 40 x 40 x 50 cm. Esta divisória será perfurada na base, até aproximadamente 15 cm de altura, permitindo o contato da água entre os dois compartimentos, porém que não permita a passagem dos peixes. Por não apresentar estas perfurações na parte de cima da divisória (a partir de 15 cm da base), não haverá contato entre a água dos dois ambientes através da superfície. Assim, os animais serão divididos em números iguais nos dois ambientes do aquário, que será preenchido até um volume de água de 120 L. Em seguida, o óleo diesel será adicionado apenas a um dos dois ambientes. A fração solúvel deverá se solubilizar e se distribuir entre os dois ambientes do aquário através das perfurações. Porém a fração insolúvel ficará confinada ao ambiente do aquário ao qual foi adicionado, visto que a divisória não apresentará perfurações na altura da superfície permitindo as trocas. Desta forma, pode-se estudar comparativamente a influência somente da fração solúvel nos peixes, e das frações solúvel+insolúvel, e assim verificar o quanto a fração insolúvel pode contribuir para a toxicidade do diesel nos peixes. Uma vez realizados experimentos de exposição a diferentes dosagens do óleo por tempos de exposição diferentes, os animais terão o fígado e brânquias coletados para análise de biomarcadores: EROD, GST, GPx, SOD, peroxidação lipídica.