Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações do consumo e sinais da síndrome de abstinência ao etanol induzidas pelo estresse crônico

Processo: 09/14380-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Cleopatra da Silva Planeta
Beneficiário:Thiago Luis da Silva Assembleia
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse psicológico   Etanol   Alcoolismo   Transtornos relacionados ao uso de substâncias   Síndrome de abstinência a substâncias

Resumo

A síndrome de abstinência ao etanol manifesta-se após um período de intenso consumo da substância e tem grande importância no desenvolvimento da dependência. Em roedores, a síndrome de abstinência ao etanol pode ser avaliada pelo aumento do seu consumo após períodos de abstinência e também por comportamentos relacionados à ansiedade na retirada da substância. Além disso, a exposição ao estresse tem sido destacada como um fator importante no desenvolvimento da dependência às substâncias ilícitas e também ao etanol. Entretanto, poucos estudos foram realizados para avaliar o efeito do estresse no desencadeamento de sinais da síndrome de abstinência ao etanol. Assim, nosso objetivo é investigar o efeito da exposição crônica ao estresse sobre o consumo e desencadeamento de sinais da síndrome de abstinência ao etanol em um modelo de livre consumo dessa substância. Para isso, ratos Wistar machos serão expostos por 22 horas diárias a soluções de etanol nas concentrações 5 e 9% diluídas em sacarina 0,1 % em bebedouros. Juntamente os ratos também terão disponível um bebedouro com água. Essas exposições diárias serão intercaladas por 2 períodos de 2 dias sem o consumo de etanol (períodos de abstinência). O consumo de cada solução de etanol será avaliado diariamente por meio da pesagem dos bebedouros e os comportamentos relacionados à ansiedade serão avaliados 1 dia depois da última exposição ao etanol em um labirinto em cruz elevada. Os animais serão expostos ao estresse de imobilização por 12 dias consecutivos, tendo o consumo de etanol avaliado tanto antes, como durante e depois do período de 12 dias de exposição ao etanol. Os grupos não expostos ao estresse não serão perturbados no mesmo período. Grupos controle para o consumo de etanol receberão somente solução de sacarina 0,1% e água. (AU)