Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de viabilidade de implantação de paines fotovoltaicos em edifícios comerciais na Cidade de São Paulo

Processo: 99/07978-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 1999
Vigência (Término): 30 de setembro de 2000
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Marcelo de Andrade Romero
Beneficiário:Rene David Jezler Nicolau
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Economia   Metrópoles   Edifícios comerciais   Meio ambiente   Energia solar

Resumo

O objetivo do projeto é avaliar a viabilidade de implantação de painéis fotovoltaicos em fachadas e/ou cobertura de edifícios comerciais na cidade de São Paulo, e verificar a economia de energia que pode ser obtida. Os painéis fotovoltaicos são constituídos por células solares fotovoltaicas que captam os fótons de radiação solar e os transformam diretamente em energia elétrica. Para estudo do caso o Edifício Villa Lobos, localizado na Av. Nações Unidas entre as pontes Eusébio Matoso e Jaguaré, será analisado. Um levantamento de dados a respeito do consumo de energia será realizado, será calculado a quantidade de painéis necessários para gerar um porcentual significativo de energia em relação ao total consumido, um projeto mecânico desenvolvido para tomar possível a incorporação do painel à fachada, estudo estético para que o painel seje harmonicamente incorporado à arquitetura do prédio, deve ser calculado em quanto tempo o capital investido retornará na forma de economia de energia, o custo total da implementação do sistema e uma conclusão sobre a eficiência, economia e benefícios ecológicos do projeto para a cidade de São Paulo. O Edifício Villa Lobos apresenta chapas de alumínio revestindo as fachadas e vidros esverdeados. A proposta seria substituir as placas de alumínio por painéis de energia solar. É um projeto pioneiro no Brasil. (AU)