Busca avançada
Ano de início
Entree

Conservação ex situ da biodiversidade: inventário, ampliação e fortalecimento do acervo de invertebrados marinhos do Museu de História Natural da Universidade Estadual de Campinas

Processo: 07/59384-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Antonia Cecília Zacagnini Amaral
Beneficiário:Michela Borges
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade   Zoologia (classificação)   Mollusca   Polychaeta   Echinodermata

Resumo

As coleções zoológicas depositadas em museus possuem um papel central no que se refere ao estudo da diversidade animal. Constituem um acervo básico a partir do qual essa diversidade é reconhecida e localizada. Os principais objetivos dos museus de zoologia são a manutenção e conservação de coleções animais, realização de pesquisas, ensino, desenvolvimento de ações de difusão cultural e prestação de serviços à comunidade. O Estado de São Paulo conta, atualmente, com cinco instituições que abrigam coleções parciais e/ou particulares de invertebrados marinhos. Os Institutos de Biologia e Oceanográfico e o Museu de Zoologia da USP, o Departamento de Zoologia do IB/UNICAMP e o Instituto de Biologia da UNESP - Botucatu. Entre estas, apenas o Museu de Zoologia da USP mantém coleções expressivas principalmente de malacologia e carcinologia. Com relação aos outros filos, as coleções existentes são tímidas e insuficientes. O Museu de História Natural - MHN/UNICAMP virá contribuir significativamente com o acervo científico de invertebrados marinhos do Brasil, uma vez que grande quantidade de exemplares proveniente de diversos projetos relativamente recentes, como BIOTA/FAPESP e REVIZEE - Score Sul estão sendo identificados e depositados no referido museu. Além da organização das coleções científicas, deverão ser confeccionados catálogos e manuais de identificação das espécies depositadas, assim como um banco de dados informatizado. (AU)