Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil de expressão protéica em coração de cardiopatas chagásicos avaliado por eletroforese bidimensional

Processo: 02/13099-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2003
Vigência (Término): 30 de novembro de 2004
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Edecio Cunha Neto
Beneficiário:Priscila Camillo Teixeira
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doença de Chagas   Cardiopatias   Cardiomiopatia chagásica   Expressão de proteínas   Eletroforese

Resumo

A Cardiopatia Chagásica Crônica apresenta uma miocardite difusa, no entanto com ausência de pseudocistos ou antígenos do parasita. Assim, seria o infiltrado inflamatório o possível efetor da destruição do tecido cardíaco, na ausência do T. cruzi. A patogênese CCC ainda é assunto de intenso debate, pois não são conhecidos os fatores de susceptibilidade ou "pontos-chave" que levam 30% dos indivíduos a desenvolver a CCC. Resultados do laboratório indicaram que linfócitos T infiltrantes de reação cruzada anti-antígenos do parasita e a miosina cardíaca podem produzir citocinas inflamatórias como o TNF-alfa e o IFN-gama. A análise da expressão protéica do tecido cardíaco de pacientes CCC poderia ajudar na elucidação do mecanismo de desenvolvimento da doença e de alterações estruturais/moleculares do miocárdio em resposta à inflamação crônica. Assim o objetivo deste projeto é traçar um perfil de expressão protéica do coração de cardiopatas chagásicos. Para tal utilizaremos a técnica de separação por eletroforese bidimensional, um método poderoso para análise de misturas complexas de proteínas, comparando os perfis de pacientes CCC com indivíduos normais e portadores de cardiomiopatia dilatada idiopática. (AU)