Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento de células progenitoras endoteliais de medula óssea de camundongo e análise da diferenciação destas células em diferentes meios de cultura na presença e ausência de dermatan sulfato.

Processo: 09/07958-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Cristina Pontes Vicente
Beneficiário:Patricia da Silva Dias
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Cultura de células   Células progenitoras endoteliais   Diferenciação celular   Proliferação celular   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Dermatan sulfato

Resumo

As células progenitoras endoteliais (CPE) foram identificadas pela primeira vez em 1997 por Asahara et al., e são derivadas da medula óssea a partir dos hemangioblastos, elas apresentam alta clonagem e potencial proliferativo em cultura celular, sendo consideradas a principal fonte celular para a formação de novos vasos sanguíneos na vida adulta. Experimentos in vivo mostram que a transfusão destas células pode melhorar a vascularização e reendotelização em camundongos e ratos com membros isquêmicos diminuindo a formação da neointima. Ainda não se sabe quais fatores propiciam a migração, adesão e diferenciação dessas células para o local de lesão. Alguns dados sugerem que o dermatan sulfato pode ser o principal agente responsável pela migração dessas células. Este encontra-se presente na parede do vaso sanguíneo, principalmente na camada adventícia do vaso e interage com o cofator de heparina II (HCII) após injúria do endotélio, sendo considerado o principal glicosaminoglicano liberado em lesões de pele e o único capaz de ativar a expressão de I-CAM na superfície das células endoteliais in vitro, aumentando os níveis circulantes destas moléculas in vivo. Este trabalho se propõe e a isolar e caracterizar células progenitoras endoteliais in vitro, analisar sua proliferação e diferenciação em diferentes meios de cultura contendo ou não diferentes concentrações de dermatan sulfato. Estabelecendo uma cultura celular capaz de ser utilizada em processos de terapia celular. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)