Busca avançada
Ano de início
Entree

Repercussões de dietas hiperlipídicas a base de óleos de soja e peixe sobre o controle central da ingestão alimentar: estudo da via de sinalização insulínica

Processo: 08/51438-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2008
Vigência (Término): 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Kelse Tibau de Albuquerque
Beneficiário:Tatiana Camacho Barão
Instituição-sede: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Hipotálamo   Ingestão de alimentos   Óleos de peixe   Óleo de soja   Dieta hiperlipídica

Resumo

A insulina, no sistema nervoso central, participa do controle da ingestão alimentar e tem ação anorexígena, porém há relatos de que dieta hipertipídica compromete esta regulação, promovendo hiperfagia. O efeito dos ácidos graxos (AGs) sobre a insulina envolve a redução da sensibilidade dos transportadores e a inibição da fosforilação da glicose pela hexoquinase. Foi observado que a ingestão de dieta enriquecida com óleo de peixe ou óleo de soja aumenta a massa e adiposidade corporais, contudo parece que os AG exercem efeito diferenciado sobre a secreção de insulina, aumentado com o comprimento da cadeia e diminuindo com o grau de insaturação. Para avaliar o efeito de dietas enriquecidas (21,5%) com óleos de peixe (OP, ômega 3) ou soja (OS, ômega 6) sobre a ação anorexígena da insulina no hipotálamo utilizaremos ratos Wistar, tratadas a partir dos 2 meses de idade, mantidas em biotério sob condições controladas de luz (claro/escuro) e temperatura (24º + 1ºC) e com acesso livre à alimentação e água. Os animais serão distribuídos a partir do início do tratamento (2 meses) em três grupos: Controle (C), Peixe (P) e Soja (S) que receberão respectivamente dieta comercial balanceada, dieta controle enriquecida com OP e dieta controle enriquecida com OS. Durante 8 semanas de tratamento serão avaliados a ingestão alimentar e a massa corporal dos animais. Aos 4 meses de vida os animais serão sacrificados e avaliados os teores de gordura e proteína de carcaça e a glicemia e insulinemia de jejum. No hipotálamo, os animais receberão uma cânula guia e infusão intracrebroventricular de 10 mU de insulina para avaliar a resposta anorexígena central e 20 mU de insulina para verificar o efeito das dietas hiperlipídicas sobre a fosforilação do receptor de insulina (IR). Ainda no hipotálamo serão quantificados os teores do IR e do substrato receptor de insulina 1. Os resultados serão apresentados como média + erro padrão da média e submetidos a ANOVA seguida do teste de comparações múltiplas. (AU)