Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da expressão gênico-protéica da proteína de reparo O6-metilguanina-DNA metiltransferase (MGMT) e seu potencial papel na carcinogênese e como fator prognóstico do câncer de mama

Processo: 09/14366-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Rafael Malagoli Rocha
Beneficiário:Julio Cirullo Neto
Instituição-sede: Hospital A C Camargo. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular   Imuno-histoquímica   Neoplasias mamárias

Resumo

Introdução: A O6-metilguanina-DNA metiltransferase (MGMT) é uma enzima de reparo de DNA que atua inibindo ligações cruzadas da dupla fita de DNA através da remoção de lesões alquilantes. O valor prognóstico da expressão desta enzima em diversos tumores identificada pela imuno-histoquímica (IHQ) ainda é controverso na literatura devido à heterogeneidade de sua expressão dentre diferentes tumores de diferentes graus. Objetivo: avaliar o valor prognóstico da proteína MGMT bem como sua importância na gênese das neoplasias da mama e sua correlação com a evolução clínica de pacientes. Material & Métodos: sessenta carcinomas ductais invasores da mama serão selecionados aleatoriamente dos arquivos do Departamento de Anatomia Patológica do Hospital A C Camargo no período de 2000 a 2009. Seus blocos correspondentes serão resgatados para o estudo morfológico e IHQ. A confirmação diagnóstica será feita pelo H&E. Em seguida duas áreas representativas de cada tumor serão selecionadas nestas lâminas para a construção de um microarranjo de tecido (TMA) cujas lâminas serão utilizadas para o estudo IHQ. O status de receptores hormonais e HER2, bem como marcadores de fenótipo basal (CK5, CK14, p63, caveolina e EGFR) serão avaliados pela IHQ em todos os tumores. Serão feitos testes com cinco diferentes anticorpos contra MGMT para eleição do melhor anticorpo tendo como padrão ouro o PCR em tempo real. Após a seleção do melhor anticorpo, o mesmo será utilizado para o estudo IHQ dos tumores deste estudo. O estudo de hipermetilação da região promotora do gene MGMT será feito utilizando o método de pirosequenciamento (PyroMark MD, QIAgen). A avaliação da transcrição destes genes será feita por RT-PCR utilizando o sistema TaqMan Universal PCR Master Mix (Applied Biosystems®) no equipamento Applied Biosystems 7900HT Fast Real-Time PCR System (Applied Biosystem®). A presença e localização morfológica da MGMT serão avaliadas visualmente nas secções marcadas pela IHQ e de forma automatizada por digitalizador de lâminas (Aperio®) associado a analisador automático de imagens (Scope®). Os seguintes dados clínicos das pacientes serão coletados dos prontuários do hospital: idade, cor, status menopausal, tamanho do tumor, grau nuclear, grau histológico, presença de desmoplasia, inflamação, componente in situ associado, status linfonodal, estadiamento, data de início do tratamento, tipo de tratamento (quimioterapia adjuvante ou neoadjuvante, hormonioterapia e radioterapia), recidiva, local da recidiva, sobrevida livre de doença, tempo de sobrevida. As informações obtidas sobre o status gênico-protéico da MGMT serão correlacionados com as informações de status hormonal e HER2, bem como com os marcadores de fenótipo basal e dados clínicos das pacientes.