Busca avançada
Ano de início
Entree

Crescimento de nano-fitas e materiais nanoestruturados: uma abordagem computacional

Processo: 06/06503-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de abril de 2007
Vigência (Término): 30 de junho de 2007
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Julio Ricardo Sambrano
Beneficiário:Julio Ricardo Sambrano
Anfitrião: Armando Beltran Flors
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universitat Jaume I, Espanha  
Assunto(s):Materiais nanoestruturados   Nanocristais   Nanofitas   Métodos ab initio   Crescimento de cristais

Resumo

Devido ao avanço tecnológico da indústria e centros de pesquisa, surgiram novos materiais como uma alternativa aos materiais tradicionais, os materiais em escala nanométrica, presentes em inúmeras áreas tecnológicas. Situar-se na fronteira das pesquisas em nanotecnologia requer o domínio das mais diversas técnicas, nesta escala, os efeitos quânticos e de superfície são fundamentais. Neste sentido, as técnicas de modelagem e simulação computacional aplicada a estado sólido, têm sido cada vez mais utilizadas no desenvolvimento destes novos materiais. A Química Teórica e Computacional é voltada para modelar estruturas e propriedades utilizando os principais princípios da Física e da Química do Estado Sólido, auxiliando o desenvolvimento de catalisadores, células solares, sensores de gases e memórias ferroelétricas entre outros. Neste quadro geral pode-se destacar as cerâmicas nanoestruturadas de óxidos metálicos um dos mais importantes materiais para estes tipos de aplicação. Alguns dos óxidos que apresentam tais aplicações são: TiO2, SnO2, ZnO e os titanatos: BaTiO3 (BT), PbTiO3 (PT), SrTiO3 (ST).O objetivo central deste projeto é desenvolver novas metodologias para estudar materiais na escala nanométrica.Neste sentido, sente-se a necessidade de caracterizar o problema de crescimento de nanocristais cuja caracterização experimental ainda é carente e as técnicas da química teórica, em crescente desenvolvimento, tem muito a contribuir, embora ainda sejam escassamente aplicadas.Portanto, motivados com o propósito de propiciar uma correlação entre trabalhos teóricos e experimentais, e em consideração ao design de novos materiais, acredita-se que a simulação computacional, possa auxiliar e propiciar informações relevantes que possam ser utilizadas como complemento àquelas obtidas por técnicas experimentais, proporcionando uma excelente oportunidade de intercâmbio entre a teoria e o experimento. (AU)