Busca avançada
Ano de início
Entree

Base genética da resistência às infecções por Haemonchus contortus em ovinos

Processo: 96/08527-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 02 de janeiro de 1997
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 1998
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Alessandro Francisco Talamini Do Amarante
Beneficiário:Alessandro Francisco Talamini Do Amarante
Anfitrião: Thomas Mckie Craig
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Texas A&M University, Estados Unidos  
Assunto(s):Haemonchus

Resumo

Este trabalho será realizado com o objetivo de estimar a resistência de ovinos às infecções por Haemonchus contortus a fim de detectar e mapear os genes responsáveis pela resistência. Para isso, serão estudados animais de duas raças e os descendentes do seu cruzamento. Uma das raças de ovinos que será utilizada é a Florida Native, a qual apresenta grande resistência às infecções por H. contortus. A outra raça será a Rambouillet que, ao contrário da primeira, apresenta grande susceptibilidade às infecções por nematódeos gastrintestinais. Serão produzidos aproximadamente 100 animais F1 a partir do cruzamento de animais das duas raças. Os ovinos (P, F1 e F2) serão mantidos em pastagem para que adquiram infecções naturais por nematódeos gastrintestinais. A resistência de cada animal às infecções será estimada quinzenalmente com base em exames parasito lógicos e sangüíneos. Além disso, para confirmar os resultados obtidos a campo, os animais da geração F2 serão submetidos à infecção artificial com Haemonchus contortus. Após esta infeção, amostras fecais e sangüíneas serão colhidas semanalmente para determinar, respectivamente, a contagem de ovos por grama de fezes (OPG) e o volume globular (VG). A análise de microsatélites será realizada com DNA extraído de linfócitos obtidos a partir de sangue periférico de cada um dos animais. Em uma amostra de 40 ng de DNA serão amplificadas regiões específicas com o emprego de "primers" de oligonucleotídeo. Mais de 100 microsatélites serão escolhidos e empregados como marcadores, para a identificação dos locos responsáveis por características quantitativas (quantitative trait loci - QTL) associadas com os fenótipos de resistência a H. contortus. Como dados genéticos e fenotípicos estarão disponíveis, será realizada a análise genética reversa. Os componentes da variância genética aditiva, residual e fenotípica serão estimados pela análise de probabilidade para restrição máxima. A significância do efeito dos marcadores será testada em um modelo animal que considera os efeitos da genética aditiva residual em cada loco. (AU)