Busca avançada
Ano de início
Entree

O suposto ateísmo de Thomas Hobbes

Processo: 92/01877-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 1992
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 1993
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Teoria Política
Pesquisador responsável:Renato Janine Ribeiro
Beneficiário:Renato Janine Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : British Library (BL), Inglaterra  

Resumo

Em textos anteriores - esp. “Ao leitor sem medo” -, negamos o suposto ateísmo de Hobbes, devido a seu sentido político (desqualificar suas críticas ao poder temporal da igreja). Propomos agora examiná-lo articulado à grande questão da obrigação em Hobbes: esta é “prudential”, como se argumenta, ou é propriamente moral? Se cumprir os pactos for mera prudência, o argumento do Hobbes ateu tem mais sentido do que se observá-los tiver um sentido moral. Para tanto, será preciso verificar o que era o ateísmo na Inglaterra do século XVII, com base em textos da época. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.