Busca avançada
Ano de início
Entree

Confederando os Tamoios: formação do Estado Nacional brasileiro 1700-1862

Processo: 94/03891-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de janeiro de 1995
Vigência (Término): 30 de junho de 1996
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Luiz Felipe de Alencastro
Beneficiário:Luiz Felipe de Alencastro
Anfitrião: Kátia de Queirós Mattoso
Instituição-sede: Instituto de Economia (IE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris-Sorbonne (Paris 4), França  
Assunto(s):Índios   Tráfico humano

Resumo

O projeto de pesquisa engloba a organização do mercado de trabalho colonial e nacional brasileiro no período 1700-1862. A descoberta do ouro diversifica a economia da América portuguesa e permite a afirmação de interesses propriamente brasileiros em Angola e no golfo de Guiné, por intermédio do trato negreiro. Depois da Independência, o Império permite que se mantenha até 1850 este sistema de exploração da economia e das populações africanas. Em 1862 a fundação do Ministério da Agricultura - na verdade um Ministério do Trabalho Rural - permite a reciclagem do tráfico negreiro em tráfico de imigrantes. (AU)