Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa de sequências genéticas virais por PCR no endomiocardio de pacientes portadores de endomiocardiofibrose

Processo: 03/08052-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 05 de janeiro de 2004
Vigência (Término): 04 de fevereiro de 2004
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Luiz Alberto Benvenuti
Beneficiário:Luiz Alberto Benvenuti
Anfitrião: Gaetano di Thiene
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Università degli Studi di Padova, Itália  
Assunto(s):Patologia   Reação em cadeia por polimerase (PCR)   Doenças cardiovasculares   Vírus

Resumo

A endomiocardiofibrose, doença cardíaca associada à síndrome restritiva, é caracterizada pela obliteração fibrosa dos ápices ventriculares, ocorrendo em determinados países de clima tropical e subtropical, incluindo o Brasil. Apresenta etiopatogenia incerta, sendo a teoria mais aceita a "hipereosinofílica", que compara a doença à fase fibrótica da endocardite de Löeffler. Nesta última é descrita acentuada hipereosinofilia sanguínea, com comprometimento sistêmico e endomiocardite eosinofílica necrotizante na fase aguda, que evolui com trombose local e cicatrização fibrosa do endomiocárdio. Entretanto, a virtual inexistência de uma fase aguda da endomiocardiofibrose, a ausência de acentuada hipereosinofilia sanguínea e acometimento de outros órgãos e a particular distribuição geográfica da doença não são contemplada pela teoria hipereosinofílica, dando margem ao surgimento de outras hipóteses patogenéticas, que por sua vez apresentam pouco embasamento epidemiológico, clínico e patológico. Vírus cardiotrópicos estão relacionados à miocardite linfocitária e cardiomiopatia dilatada, sendo sua detecção possível apenas com técnicas de biologia molecular de alta sensibilidade, como a reação da polimerase em cadeia (PCR, "polimerase chain reaction"). Contemplando a possibilidade, não previamente explorada, da endomiocardiofibrose constituir fase fibrótica de endomiocardite eosinofílica prévia, de etiologia viral, propõe-se a realização de PCR para sequências genéticas virais no endomiocárdio de 30 pacientes submetidos a tratamento cirúrgico da doença. O material genético das amostras será extraído de tecido previamente coletado, processado, emblocado em parafina e arquivado no Laboratório de Anatomia Patológica do InCor e as reações de PCR serão desenvolvidas no Instituto de Anatomia Patológica de Padova, grupo chefiado pelo Dr. Gaetano Thiene, pesquisador de renome internacional na área de Cardiologia, e com sedimentada experiência na técnica proposta. (AU)