Busca avançada
Ano de início
Entree

Purificação e caracterização de proteínas do LHC II de plantas transgênicas de tabaco

Processo: 97/11732-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 02 de março de 1998
Vigência (Término): 02 de junho de 1998
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Carlos Alberto Labate
Beneficiário:Carlos Alberto Labate
Anfitrião: Roberto Bassi
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa: Università degli Studi di Verona, Itália  
Assunto(s):Plantas geneticamente modificadas   Fotossíntese   Tabaco

Resumo

Este pedido de bolsa de pesquisa no exterior tem por objetivo o estudo das alterações na estrutura das proteínas CAB do LHCH de plantas transgênicas de tabaco que superexpressam o gene RSLhcb 1. As proteínas CAB ("Chlorophyll alb binding protein") são os principais componentes desse sistema antena e estão associadas a clorofilas a e b, e carotenóides (Luteína, Neoxantina e Xantofilas). O LHCIIb é a principal proteína CAB e está associada a aproximadamente 60% do total de clorofila do cloroplasto. A superexpressão do gene RSLhcb 1 de ervilha, responsável pela codificação de uma proteína de 28 kDa do LHCIIb, em tabaco promoveu o aumento do tamanho do LHCII por PSD. A expressão ectópica desse gene quimérico causou uma série de efeitos pleiotrópicos sobre o desenvolvimento, morfologia, anatomia foliar e aumento da capacidade fotossintética em condições limitantes de luz. A análise da composição dos pigmentos fotossintéticos não mostrou diferenças na concentração total de clorofila (a + b) e relação clorofila a/b entre plantas transgênicas e selvagens. Da mesma forma, a análise da composição dos pigmentos carotenóides não mostrou alteração na concentração de luteínas e neoxantinas, porém houve um significativo aumento no conteúdo de xantofilas, principalmente violaxantina. Esses resultados preliminares mostram que o aumento no tamanho do LHCII por PSD das plantas transgênicas é o resultado também de alterações na sua estrutura molecular que precisa ser investigado. Para tanto estou solicitando uma bolsa de pesquisa no exterior pelo período de 3 meses para desenvolver uma série de análises no laboratório do Dr. Roberto Bassi da Universidade de Verona-Itália. O Dr. Bassi é um especialista no isolamento e caracterização de proteínas dos tilacóides, principalmente do LHCII e PSII e possui renomada competência, além de um laboratório muito bem equipado para desenvolver esse tipo de trabalho. O estágio será muito importante não só por permitir uma caracterização das plantas transgênicas em maior detalhe mas, também, será uma excelente oportunidade para conhecer novas técnicas que serão incorporadas em nosso laboratório. As metodologias que serão empregadas nesse trabalho compreendem: técnicas eletroforéticas desnaturantes, análise de gel "green", purificação e caracterização das proteínas CAB do LHCII por técnicas imunológicas e espectroscópicas. Este pedido está relacionado ao auxílio pesquisa concedido recentemente pela FAPESP nº 97/06156-8. (AU)