Busca avançada
Ano de início
Entree

Trajetórias femininas: estudo de tradições discursivas em cartas da editora de revistas femininas paulistas

Processo: 10/02652-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Maria Lúcia da Cunha Victório de Oliveira Andrade
Beneficiário:Maria Lúcia da Cunha Victório de Oliveira Andrade
Anfitrião: Teun Adrianus Van Dijk
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universitat Pompeu Fabra (UPF), Espanha  
Vinculado ao auxílio:06/55944-0 - Projeto de história do português paulista (Projeto caipira), AP.TEM
Assunto(s):Identidade de gênero   Ideologia

Resumo

Esta pesquisa visa a descrever e analisar o gênero discursivo carta da editora de revistas femininas produzidas na imprensa paulista, no final do século XIX, XX e XXI, em uma perspectiva diacrônica, procurando, assim, depreender as Tradições Discursivas (KABATEK, 2004) que a constituem em termos representacionais, identitários e acionais. Nessa perspectiva, esta pesquisa do pós-doutorado trata sobre a produção textual feminina no contexto da midia impressa paulista, em especial a organização, caracterização e funcionalidade das cartas da editora, bem como a transitividade como elemento linguístico em destaque no processo constitutivo desse gênero discursivo. Para a realização desta pesquisa utilizaremos a Revista A Mensageira como corpus relativo ao século XIX, em edição fac-similar organizada por Zuleika Alambert e publicada pela Imprensa Oficial de São Paulo, em 1987; no que diz respeito aos séculos XX e XXI, faremos usos da Revista "Claudia" (Editora Abril) e "Criativa" (Editora Globo) em exemplares publicados em várias décadas do século XX e na primeira década do século atual.Nesse sentido, este trabalho procura aliar três grandes correntes de teorias lingüísticas que estabelecem uma relação dialética entre língua e sociedade - o modelo das Tradições Discursivas (TD) (Koch, 1997; Kabatek, 2004;), a Análise Crítica do Discurso (ACD) (Fairclough, 1997; 2007; Van Dijk 2008) e a Lingüística Sistêmico-Funcional (LSF) (Halliday, 2004) - de modo a aprofundar a metodologia de análise para textos em diacronia, pretendendo, assim, perceber as coerções das estruturas sociais e institucionais no processo de produção textual da imprensa feminina paulista, assim como seu poder de resistência em relação às formas da mídia tradicional, produzida por homens e o modo como aquela assenta seu nicho de atuação na comunidade. (AU)