Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre leucemias na infância, crescimento e agrupamento populacional: estudo dos dados do Município de São Paulo

Processo: 05/00857-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 10 de outubro de 2005
Vigência (Término): 09 de março de 2006
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:Karina de Cássia Braga Ribeiro
Beneficiário:Karina de Cássia Braga Ribeiro
Anfitrião: Patricia a Buffler
Instituição-sede: Hospital A C Camargo. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Berkeley (UC Berkeley), Estados Unidos  
Assunto(s):Crescimento populacional   Fatores de risco   Câncer infantil

Resumo

As leucemias são as neoplasias mais freqüentes na infância, correspondendo a cerca de 1/3 de todas as neoplasias malignas nesta faixa etária, sendo que o subtipo mais comum é a leucemia linfocítica aguda. A etiologia da maioria dos casos de leucemia na infância ainda permanece desconhecida. No entanto, diversos fatores de risco, genéticos e ambientais, já foram descritos. No fim da década de 80, KINLEN sugeriu que o excesso de casos de leucemias observado próximo às usinas nucleares em Seascale, no Reino Unido, poderia ser atribuído à resposta a um processo infeccioso sub-clínico, cuja transmissão foi facilitada pelos contatos ocorridos entre um grande número de pessoas. Segundo o autor, um grande afluxo de pessoas, de origens diversas, para áreas previamente isoladas, poderia facilitar esta transmissão. Por outro lado, nas áreas com grande densidade demográfica as crianças estariam menos susceptíveis, devido à instalação da imunidade herdada. A hipótese de Kinlen foi sustentada em diversos outros estudos. Alguns autores usaram a densidade demográfica como um preditor de altas taxas de incidência de câncer. A cidade de São Paulo possui mais de 10 milhões de habitantes, sendo ¼ destes, crianças abaixo de 15 anos de idade. Mais de 700.000 pessoas compõem a população rural. Em todo o município, existe grande variação tanto na densidade demográfica (0,42 hab/km2, Marsilac e 242,86 hab/km2, Bela Vista) como nas taxas de crescimento populacional no período de 1996 a 2000 variaram de -2,68 (Pinheiros) a 7,78 (Anhanguera). No período de 1969 a 1998, as taxas de incidência de leucemias pediátricas (0-14 anos) variaram de 3,5 a 6,9 casos novos/100.000 habitantes no sexo masculino e de 2,5 a 8,6 casos novos/100.000 habitantes, para o sexo feminino. As taxas de incidência observadas no período de 1997-1998, tanto para meninos (8,24/100.000) como para meninas (6,16/100.000), estão entre as maiores do mundo e, curiosamente, são bastante semelhantes às observadas na população hispânica de Los Angeles, Estados Unidos. A conjunção de tais fatores denota a importância da realização do estudo proposto, a fim de contribuir no esclarecimento da etiologia das leucemias na infância e, se possível, através dos conhecimentos adquiridos, propor medidas de prevenção e controle desta enfermidade.OBJETIVO: Avaliar a associação entre a incidência de leucemias e o crescimento populacional na cidade de São Paulo. MÉTODOS: Será realizado um estudo caso-controle, incluindo como casos todas as crianças portadoras de leucemias, menores de 15 anos de idade, registradas no Registro de Câncer de Base Populacional do Município de São Paulo (RCBP-SP) no período entre 1997 e 2001. Para cada caso, será pareado um controle da mesma idade e sexo, portador de tumor sólido, selecionado aleatoriamente do mesmo banco de dados do RCBP-SP. Os casos e controles serão classificados, segundo o endereço residencial, quanto a: Índice de Exclusão Social, Índice de Pobreza, Índice de Desigualdade Social, taxa de crescimento populacional (0-10,0%, 10,1-20,0%, > 20,0%), densidade populacional e a situação de moradia (área urbana ou rural). As taxas de crescimento populacional e a densidade demográfica de cada um dos 96 distritos administrativos do município de São Paulo serão aquelas relativas aos Censos Demográficos de 1991 e 1996. Será realizada a análise estatística descritiva das variáveis quantitativas e categóricas, incluindo medidas de posição e dispersão, freqüências absolutas e relativas. Serão utlizados modelos de regressão logística condicional, com cálculo das razões de chances (“odds ratios”) brutas e ajustadas e respectivos intervalos de confiança de 95%, para avaliar o papel do crescimento populacional como fator de risco para o desenvolvimento das leucemias na infância. Serão testadas as possíveis interações. A adequação dos modelos será avaliada através do teste de Hosmer e Lemeshow. (AU)